segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Rollemberg caminha por feiras de Ceilândia e critica a "Tarifa Frejat"



A manhã de sábado (18/10) aconteceu toda em Ceilândia para Rodrigo Rollemberg, candidato do PSB ao Governo do Distrito Federal. Logo às 7h, uma caminhada na Feira do Produtor deu início às atividades do último fim de semana antes do segundo turno. Por volta das 9h, partiu para a Feira Central de Ceilândia, onde ouviu as reivindicações dos profissionais e investiu no corpo a corpo.

Para a semana derradeira antes das eleições, Rollemberg afirma que irá intensificar as atividades de rua, reservar tempo para gravações de programa eleitoral — evento a ser cumprido nesta tarde — e se preparar para os próximos debates. Segundo a assessoria, esse último passo deve ser tomado neste domingo (19/10). 

Quanto aos feirantes, o candidato prometeu crédito fácil para eles e promover uma "melhor infraestrutura. "Devemos melhorar o ambiente, ser totalmente diferentes da gestão Agnelo. Queremos a inclusão da Feira Central no roteiro turístico da cidade", disse Rollemberg, que comeu melancia, camarões e mocotó durante as duas horas e meia de caminhada.

Segundo o presidente da Associação dos Feirantes da Feira Central de Ceilândia (Asfec-DF), França Nogueira, a principal reivindicação da categoria é a retirada dos ambulantes do centro de Ceilândia. "O que mais queremos do futuro governador é que ele limpe o centro da cidade, uma área muitas vezes esquecida por governantes", afirmou.

Como não poderia deixar de ser, o socialista foi perguntado sobre a promessa do rival Jofran Frejat (PR), das tarifas de ônibus a R$ 1, lançada durante a semana. "É uma proposta demagógica, que vai custar R$ 580 milhões por ano. Com isso dá, para construir um hospital do câncer, um hospital de trauma e 100 creches por ano", enumerou. "É uma promessa desesperada, que não seria feita se ele estive à frente das pesquisas", continuou.

Mais apoio
Após as caminhadas e feiras matinais, o pessebista partiu para o Rotary Clube, ao lado da Casa do Cantador, em Ceilândia Sul, para a oficialização do apoio do Partido Trabalhista Nacional (PTN) a ele. No encontro, mais uma vez criticou a chamada "Tarifa Frejat", classificada como "eleitoreira" por Rollemberg.

Durante o discurso, ele e o deputado distrital eleito pelo PTN e presidente do partido na cidade, Rodrigo Delmasso, argumentaram que "é um apoio por afinidade ao plano de governo e não por cargos". Questionado se o apoio expresso pelo PSB ao candidato tucano à presidência, Aécio Neves (PSDB), é por esse motivo, Rollemberg não negou, nem afirmou. "Nós, por 21 votos a sete, decidimos que seria saudável para a democracia termos uma alternância de poder", justificou. 

Correio Web
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...