terça-feira, 3 de março de 2015

Chico Vigilante e outros seis distritais iniciam mandato devendo explicações

O tempo parece começar a fechar na Câmara Legislativa do Distrito Federal. Duas investigações vão ao encontro de pelo menos seis deputados distritais eleitos ou suplentes. E há muito que se explicar sobre financiamento de campanha e fraudes relacionadas às eleições de 2014.
A coluna Eixo Capital, do Correio Braziliense, publicou que quem “acompanha a apuração dos fatos garante ter provas consistentes e definitivas contra alguns dos envolvidos”. Aguarda-se, agora, a divulgação dos nomes dos envolvidos.
Independente da apuração da Polícia Civil do Distrito Federal, um deputado distrital que já começa a ter dor de cabeça por conta de notícias veiculadas na imprensa nacional é Chico Vigilante (PT).

Desde o início do mandato, Vigilante transformou-se em porta-voz do ex-governador Agnelo Queiroz, fazendo a defesa de sua gestão de forma agressiva e rotineira. Mas esta postura pode mudar depois que seu nome apareceu entre os beneficiários de doações da MBrasil, empresa que configura na lista de suspeitas de manter “conta oculta” no banco HSBC no exterior.
De acordo com a revista semanal Isto É, cerca de R$ 300 mil da MBrasil abasteceram a campanha vitoriosa do ex-governador Agnelo em 2010 e outros R$ 100 mil foram para as campanhas de Vigilante e do candidato derrotado a deputado federal Guilherme Lacerda (ES).
A MBrasil Empreendimentos é tida pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) como “possível envolvida com desvio de recursos públicos do fundo de pensão Cibrius, dos servidores da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
Toda movimentação da MBrasil deve ser investigada pela CPI do HSBC, criada na sexta-feira (27) no Senado Federal para analisar a atuação do banco no acobertamento de mais de 100.000 contas bancárias de brasileiros e estrangeiros, eximindo-os de comprovar a origem dos recursos ou de pagar obrigações fiscais – facilitando a lavagem de dinheiro desviado dos cofres públicos.
É importante ressaltar que, neste momento, não há provas de irregularidades nas doações recebidas, em 2010, por Agnelo e por seu porta-voz Chico Vigilante.
As investigações estão em curso. Mas como na política o imediatismo por muitas vezes dita o ritmo dos discursos e das ações, vale analisar a postura dos deputados distritais nas próximas semanas para saber quem mudou a pegada. Afinal, pelo menos seis titulares e suplentes devem começar a se preocupar com as páginas dos jornais, revistas e blogs na internet.
Blog Radar Condomínio
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...