terça-feira, 31 de março de 2015

Distrital defende três propostas para melhorar a qualidade de vida na Ceilândia



Maior cidade do Distrito Federal, Ceilândia recebeu na quinta-feira (26) a segunda edição do projeto “Câmara em Movimento”, que tem como objetivo aproximar a população da Câmara Legislativa. O evento marcou o início da comemoração do aniversário de 44 anos da fundação da cidade. O deputado Chico Leite esteve presente na sessão, onde ouviu as demandas dos moradores e defendeu três propostas para melhorar a qualidade de vida da população: a construção do segundo hospital regional, a reforma do Centro de Saúde nº 11, a construção de mais creches e a imediata inauguração de três delas, duas no Setor “O” e uma na QNQ, que, mesmo recém-construídas, estão em estado de abandono.

Chico Leite tem trabalhado para que o segundo hospital regional de Ceilândia saia do papel.  Com mais de 600 mil moradores, a cidade apresenta grande demanda por atendimento hospitalar e conta com apenas um hospital, construído há mais de trinta anos para atender a 80 mil moradores. Para 2015, o deputado destinou R$ 1 milhão em emenda orçamentária para iniciar a obra do hospital, que deverá contar com 500 novos leitos. “A construção de um novo hospital para a cidade deve ser prioridade da política de saúde do DF, sem descartar o reforço das unidades de atenção básica da região”, defende.


Centro de Saúde nº 11

A reforma do Centro de Saúde nº 11, situado na QNO 17/18, também foi defendida pelo deputado. Desde que o governo anterior transferiu todos os atendimentos da unidade para reformá-lo, a população tem que se deslocar até o Centro de Saúde nº 7 do Setor “O” para receber atendimento. “Além da dificuldade do deslocamento, sobrecarrega o atendimento daquela unidade, dificultando o acesso da comunidade da Expansão do Setor “O” ao atendimento médico, ressalta Chico Leite. Ele solicita ao GDF que reinicie a reforma do Centro de Saúde nº 11 o mais rápido possível.

Creches em situação de abandono

Outra cobrança do deputado Chico Leite foi a imediata inauguração de três creches que foram construídas e que se encontram em situação de abandono, tomadas pelo mato, sendo duas no Setor “O” e uma na QNQ. Segundo dados da coordenação regional de ensino de Ceilândia, existe hoje na cidade um déficit de 12 mil vagas nas creches públicas. “Enquanto isso, das sete creches ali construídas, três estão abandonadas. Não são inauguradas por falta de mobiliário”, enfatiza.

Por: Tiago Monteiro Tavares do Alô Brasília
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...