segunda-feira, 27 de abril de 2015

Fórum de Ceilândia busca preservar sua história e a cultura local


O Fórum Desembargador José Manoel Coelho, na Circunscrição Judiciária de Ceilândia, preserva sua história, a cultura local e as áreas verdes em seus 21 anos de trajetória no Distrito Federal, comemorados recentemente. O Fórum possui 18 cartórios com cerca de 400 servidores e quase 30 serviços.
Pequenos jardins podem ser apreciados, caminhando ao longo do Fórum, como também a iluminação e a ventilação natural. Segundo a supervisora do Núcleo da Diretoria do Fórum, Severina Eugênia da Silva, que trabalha há 17 anos no local, recentes reformas tiveram o cuidado de manter as características da construção original. “O Fórum foi atualizado, mas não foi  modificado”.

O Fórum possui também, desde 9 de abril de 2007, um Espaço Histórico e Cultural que atua em parceria com o Memorial TJDFT Desembargadora Lila Pimenta e realiza exposições em datas comemorativas, com artistas plásticos, preferencialmente ceilandenses interagindo com a comunidade local. O espaço possui um acervo de mais de 300 obras, distribuídas ao longo das paredes e corredores do Fórum, doadas por artistas que expuseram no local. No caminho para o recém inaugurado Complexo Criminal do Fórum é possível observar algumas das obras, como esculturas e pinturas, que ornamentam a caminhada.
Para estimular os servidores, a Diretoria do Fórum já realizou concursos literários com apresentação de contos, poesias e crônicas. E para os empregados terceirizados que trabalham na limpeza, copa e manutenção, o Fórum realiza todo ano campanhas para aquisição de cestas natalinas no mês de dezembro. Com esta integração entre todos, o Fórum de Ceilândia se destaca pela organização, limpeza e manutenção.
Celso Gonçalves da Silva é o servidor mais antigo do Fórum; tem 25 anos de Tribunal, sendo 21 deles a serviço do Fórum de Ceilândia, desde sua inauguração. Celso, que atua no Núcleo da Diretoria do Fórum, na área de comunicação, responsável pelo recebimento de ofícios, processos e correspondências, ressaltou que nunca teve vontade de mudar de local de trabalho: “A equipe é muito unida, por isso me sinto bem aqui. Trabalhamos em parceria. Quando dá o horário de trabalhar é um prazer”, declarou.
A paixão pelo TJDFT e pelo Fórum de Ceilândia permeia toda a família. Celso tem dois irmãos que trabalham no Tribunal e conheceu sua esposa no local de trabalho. Celso disse que seu filho, que está cursando o ensino médio, também pretende fazer concurso para trabalhar no Tribunal.
TJDFT
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...