terça-feira, 7 de abril de 2015

Secretaria de Saúde altera escalas de pediatras para melhorar atendimento


A escala de pediatria nos hospitais regionais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) foi alterada para atender ao aumento da demanda provocada por um surto de bronquiolite no Distrito Federal. A orientação é que os pais, antes de procurar uma unidade, verifiquem no site da Secretaria de Saúde onde há mais profissionais atendendo. As mudanças devem durar até o início de maio.
"Esse recurso foi necessário porque estamos com déficit em todas as regionais e não tem como, hoje, suprir escalas completas com a quantidade de gente que nós temos", explica a coordenadora de pediatria da Secretaria de Saúde, Carmen Martins. "Por isso fizemos as escalas observando as regiões mais próximas, uma apoiando a outra", completa.
Por exemplo, na quarta-feira (8) pela manhã, haverá um pediatra no Hospital Regional de Taguatinga, dois na UPA do Recanto das Emas e nenhum na de Samambaia. "Assim, orientamos que o paciente procure a unidade com o maior número de médicos", frisa Carmen.
A médica orienta os pais a observarem o estado dos filhos e aquelas que estiverem menos graves sejam levados primeiramente ao centro de saúde mais próximo e não à emergência do hospital. "O caso poderá ser atendido lá mesmo ou, se for mais grave, o médico encaminhará para o hospital", destaca a coordenadora da pediatria. Ela explica que onde houver apenas um profissional, a prioridade de atendimento será para os casos mais graves.

HORÁRIOS - A escala dos pediatras será atualizada semanalmente no site da Secretaria de Saúde. A medida adotada é temporária, visto que em breve será feita contratação de novos profissionais já aprovados em concurso.
A secretaria já enviou ao GDF o pedido para a contratação de 133 pediatras aprovados em concurso público. Segundo Tadeu Palmieri, subsecretário de Atenção à Saúde, espera-se que pelo menos 100 sejam efetivados.
Atualmente a rede pública de saúde do DF conta com 560 pediatras, porém, apenas cerca de 460 estão efetivamente trabalhando. O restante está com restrições como licença maternidade, licença prêmio ou atestado médico. O déficit destes profissionais na rede, segundo Palmieri, é de 276 pediatras.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...