domingo, 17 de maio de 2015

O governador das Elites


Brasília é a sede do Governo do Distrito Federal, e o DF uma unidade federativa com dezenas de cidades, que foram surgindo ao longo do tempo e conforme a necessidade frente ao rápido crescimento populacional que se deu nas últimas décadas.
Foi em 1955, que o então presidente Juscelino Kubitschek começou a construí-la no meio de um cerrado disforme e completamente tomado por vegetação retorcida e de terra vermelha. Em cinco anos, a capital do Distrito Federal era transferida para o Planalto Central, sendo batizada como Brasília.
Passados os 55 anos, o DF cresceu em contingente populacional e em número de cidades circunvizinhas a Brasília, porém sempre intitulado como Distrito Federal.

Em abril deste ano o governo local, sem consultar a população, decidiu se auto-intitular 'Governo de Brasília', descartando a nomenclatura 'Governo do Distrito Federal', que perpetuou desde a transferência da referida unidade federativa para o Centro Oeste.
Desde que foi eleito, o novo governo tem feio pouco pelo DF. As ruas das cidades satélites estão esburacadas. O asfalto por onde quer que passe, falta manutenção, os remendos fazem qualquer picape 4x4 trepidar, imagine carros de passeio. Em Taguatinga, as avenidas Hélio Prates, Samdu Sul e Norte e Pistão Sul são as mais prejudicadas com buracos por toda a sua extensão, - sem contar as outras cidades menos assistidas ainda.
Os hospitais continuam faltar medicamentos, além da escassez de profissionais para atendimento digno, fazendo com que pacientes esperem por horas na fila de atendimento.
O trânsito da cidade continua o mesmo, sem projetos para obras de mobilidade que incluem transporte urbano de qualidade e abertura de novas vias para melhor fluidez de veículos.
A tão criticada faixa exclusiva da EPNB, via que liga a “Brasília do governador Rollemberg” até Goiânia, afunilou veículos de passeio junto com caminhões truncados de 18, 24 rodas em duas pequenas faixas de rolamento.
Em recente solenidade oficial, o Governador Rollemberg assinou decreto para financiar a construção do VLT do Planto Piloto, obra desnecessária se comparada a outras de grande interesse da população.
O eixo Taguatinga-Samambaia-Ceilândia foi esquecido. As promessas de campanha para a região, do então candidato, foram esquecidas. A região que hoje comporta mais da metade da população do DF, sofre com problemas graves de mobilidade, enquanto o governador de Brasília, governa para Brasília, - entende-se Plano Piloto.
As lideranças de Taguatinga cobram postura do governador. Anseiam pelo cumprimento das promessas feitas pelo governador que poucas vezes colocou os pés nesta região do DF. É bom lembrar que seu vice, Renato Santana é figura carimbada da população de Ceilândia. Graças a ele e ao agora deputado Federal Rogério Rosso, que foi administrador Regional daquela cidade, é que Rollemberg chegou ao poder para governar o Distrito Federal e não a sua Brasília.
Taguatinga quer mais! Ceilândia quer mais! Samambaia quer mais! Taguatinga quer atenção a saúde, quer asfalto de qualidade e sem buracos. Taguatinga quer seu túnel sob a Avenida Central. A região de Taguatinga sim merece um VLT para atender à tríplice população. Taguatinga quer a Via Interbairros, para desafogar o trânsito das vias existentes e trazer de vez o Centro Administrativo que já foi construído e que o governador insiste em dizer que não tem condições legais para ocupá-lo.
Desde que começou a governar, muitos problemas encontrou o governador. Mas até aqui nada fez de significativo para as cidades circunvizinhas a Brasília. E ao tentar nomear o Governo do Distrito Federal em Governo de Brasília, dá uma prova que deseja e quer governar a sua Brasília, o seu Plano Piloto, esquecendo assim, o restante da população de um governo, do Distrito Federal.
Por Gazeta de Taguatinga
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...