quarta-feira, 24 de junho de 2015

Ceilândia tem 5 casos de leptospirose, Secretaria alerta população


A Secretaria de Saúde faz um alerta sobre as ações de prevenção e combate à leptospirose. Neste primeiro semestre de 2015, foram registrados no Distrito Federal 21 casos de contaminação, sendo cinco mortes em função da doença, que é causada pela bactéria Leptospirose, presente na urina de ratos. O número é considerado alto, uma vez que em 2014 foram constatados 17 casos ao longo de 12 meses.
De acordo com a chefe do Núcleo de Agravos de Transmissão Hídrica e Alimentar, Rosa Maria Mossri, a maior parte das pessoas infectadas encontra-se em Ceilândia e Recanto das Emas (confira o quadro abaixo). De acordo com levantamento, 65% dos casos ocorreram em áreas urbanas e aproximadamente 50% foram dentro da própria residência. Além disso, o perfil de 73% dos infectados são homens com 37 anos de idade.

"Nós tivemos chuva no período de março, abril e se estendeu a maio. Não temos enchente em Brasília, mas temos áreas alagadas próximas às residências, que podem propiciar a disseminação das bactérias na água", destacou Rosa.
Segundo ela, outras formas de contaminação englobam a exposição das pessoas em locais que tem entulho, construção, caixa de gordura e de esgoto, além de locais com acumulo de lixo ou mal higienizados.
"Onde tem sujeira, tem rato. Provavelmente, as pessoas infectadas estavam desprotegidas, sem luva e sem calçado. O animal urina e as bactérias ficam. O contágio ocorre com a bactéria Leptospira, que penetra pela pele, que se estiver lesionada tem ainda mais riscos de ser contagiada", enfatizou Mossri.
ORIENTAÇÕES – Para quem tem animais de estimação, é necessário manter a higienização do local e não deixar restos de comida nos vasilhames, já que os alimentos são um atrativo para os roedores.
No caso de higienização de fossas e caixa de gordura, o ideal é usar luvas e, na ausência, sacolas plásticas, além de calça e blusa com mangas cumpridas para que a pele não entre em contato com os resíduos, que podem contem partículas de urina dos ratos.
"Boa parte das pessoas contaminadas fizeram a limpeza desses locais recentemente, de maneira desprotegida, o que nos deixam indícios que esse foi o meio de contaminação", disse a técnica.
Outras orientações são tomar cuidado com o manuseio do lixo, áreas alagadas pela chuva que podem trazer resquícios da urina, além da higienização da casa e roçagem do mato ao redor da residência.
SINTOMAS – Aproximadamente 85% das pessoas infectadas tem leptospirose leve e apresentam apenas parte dos sintomas. Apenas 15% desenvolveram a forma grave, que pode evoluir para óbito.
Entre os sintomas estão febre alta, mal-estar, dor muscular especialmente na panturrilha, de cabeça e no tórax, olhos vermelhos, tosse, cansaço, calafrios, náuseas, diarreia, desidratação, manchas vermelhas no corpo e meningite. Além disso, na forma grave, o doente pode apresentar hemorragias, complicações renais, torpor e coma.
AÇÕES PREVENTIVAS – A chefe informou que técnicos da Secretaria de Saúde estão realizando um levantamento com base nos registros de infecção. "Vamos analisar quais foram as atividades realizadas pelo doente, traçar um roteiro sobre o que a colocou em risco. Com isso, levaremos em consideração se limparam fossa, esgoto, limpeza em locais por onde passaram", disse.
A Secretaria de Saúde monitora as áreas consideradas onde há maior incidência de casos de leptospirose. Agentes de vigilância ambiental vão a campo e inspecionam caixas de esgoto e ambientes externos em via pública e, nos locais onde há vestígios de ratos e ratazanas, é aplicado raticida. Este monitoramento ocorre entre os meses de março e setembro, a cada 10 dias, por ser o período de estiagem no DF. A população pode fazer a comunicação sobre infestação de roedores pelo telefone (61) 3343-8804.
Eles aparecem com maior incidência em locais onde há lixo mal acondicionado, ração para animais e comidas expostas. Por isso, o maior monitoramento é feito em locais como feiras, lanchonetes e em pontos como a Rodoviária do Plano Piloto e o Setor Comercial Sul.
Confira o número de casos de moradores infectados em cada região:
Ceilândia 5
Recanto das Emas 3
Taguatinga 2
Sobradinho 2
Aguas Claras 2
Planaltina 1
Samambaia 1
Itapoã 1
Paranoá 1
Guará 1
São Sebastião 1

Sudoeste 1
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...