segunda-feira, 15 de junho de 2015

Mulheres, graduados e homossexuais são os alvos do assédio moral no trabalho, revela pesquisa de alunos de Ceilândia


Um fenômeno social contemporâneo que contamina  o clima de organizações,  destrói carreiras, adoece pessoas e deixa profundas sequelas psicológicas; algumas delas irreparáveis. 

O  Assédio Moral no Trabalho foi tema de uma profunda pesquisa realizada por alunos de Serviço  Social das unidades  Ceilândia e  Guará da Faculdade Projeção no contexto da disciplina “Estatística”. O levantamento, coordenado pelo professor  Luciano Lopes,  aplicou 1.200 questionários a trabalhadores de  diferentes regiões administrativas do Distrito Federal. O objetivo  foi identificar a incidência do assédio nos ambientes de trabalho da Capital da República. 


O resultado joga luz sobre o perfil  das vítimas. A pesquisa mostrou que   mulheres, pessoas com nível superior (graduação e pós-graduação), além de homossexuais, são as maiores vítimas deste tipo de crime. Segundo o professor Luciano Lopes, “além da compreensão sobre a gravidade de um  fenômeno  que compromete a  estabilidade e o  desenvolvimento das corporações, a pesquisa  foi importante para demonstrar para os estudantes  a necessidade permanente do uso de ferramentas estatísticas para a atuação do Assistente Social”. Para a professora Maria Yvelônia, coordenadora de Serviço Social na FAPRO-Ceilândia,  “a missão do profissional de Serviço Social numa sociedade complexa e muitas vezes doente é identificar  gargalos como o assédio moral no trabalho, capazes de contaminar  setores, empresas e segmentos econômicos”.  

O evento de apresentação dos resultados da pesquisa foi realizado no  último dia 10 de junho, em Ceilândia, e contou com a colaboração dos professores Daniel e Sérgio,  titulares das cadeiras de Sociologia I e II no curso de Serviço Social

Faculdade Projeção
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...