quinta-feira, 2 de julho de 2015

Centro de Ceilândia passa por revitalização


A área central de Ceilândia  que começa na Avenida Hélio Prates, perto do 8º Grupamento de Bombeiro Militar, e vai até a estação do metrô Ceilândia Centro  passa por pequenas intervenções, como poda de árvores e pintura de estacionamento e de meios-fios desde 22 de junho. Nesta quarta-feira (1º), a iniciativa ocupou as paredes externas da Feira Central de Ceilândia com grafites temáticos sobre a região Nordeste do País.

De acordo com o vice-governador Renato Santana, essa é a segunda etapa da operação Levanta, DF, que começou no início de janeiro. “No primeiro momento, retiramos entulhos, agora, nesta fase, vamos revitalizar os centros comerciais para dar um aspecto melhor.”
A ação conta com o trabalho de órgãos como a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), que nivela as calçadas; o Serviço de Limpeza Urbana, que recolhe o lixo das ruas e calçadas, além de fazer a pintura dos meios-fios; a Agência Fiscalizadora do Distrito Federal, que fiscaliza o comércio de ambulantes; e o Departamento de Trânsito do DF (Detran), que organiza estacionamentos e faixas de pedestres. Diariamente, circulam pela área central de Ceilândia cerca de 120 mil pessoas.
Feira central
Por meio de uma parceria da administração regional com artistas locais  que se voluntariaram para promover a intervenção — e com feirantes  que doaram as latas de spray , as paredes externas da feira começaram a ser grafitadas. A escolha do tema alusivo ao Nordeste se deve ao fato de grande parte dos moradores de Ceilândia ser de origem ou descendentes dos estados daquela região.

De acordo com a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio (Pdad) 2013, da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), Ceilândia tem 449.592 habitantes. Destes, 48,27% não nasceram em Brasília. Do total de imigrantes, 66,43% são de estados como a Bahia, o Piauí, a Paraíba, o Maranhão e o Rio Grande do Norte. Outros 16,91% são do Sudeste e 13,37% do Centro-Oeste. “É uma homenagem à cultura nordestina”, explica o administrador regional Vilson José de Oliveira.
O grafiteiro Rivanilson da Silva Alves, de 45 anos, nasceu em Taguatinga, mas vive na região desde a adolescência. Ele conta que há bastante mobilização dos artistas locais para promover intervenções em Ceilândia. “Retrataremos aqui ícones nordestinos como o Luiz Gonzaga e Dominguinhos, e itens característicos, como a buchada, que faz parte da culinária nordestina”, esclarece.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...