quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Grêmios estudantis de Ceilândia ganham voz em audiência pública da CLDF


Mais recursos, mais cultura e mais representatividade. Essas foram algumas das reivindicações dos estudantes que participaram da audiência pública sobre a importância do trabalho dos grêmios estudantis, na manhã desta terça-feira (18), no plenário da Casa. De iniciativa do deputado Israel Batista (PV), o evento contou com a presença de grupos de representantes dos grêmios estudantis de escolas públicas e privadas do Distrito Federal.  

A audiência pública foi aberta pelo deputado Israel Batista rememorando sua época de estudante na Universidade de Brasília (UnB) no ano 2000, quando esteve à frente dos movimentos estudantis. "Naquela época a UnB ainda era muito elitizada, mas conseguimos nos juntar para debater questões práticas, como almoço a 50 centavos, a iluminação e a entrada de ônibus no campus". E completou dizendo, "o espírito dos grêmios estudantis é o envolver de todos nos problemas coletivos, a solidariedade".
O presidente do grêmio estudantil do Centro de Ensino Médio 12 de Ceilândia (CEM 12), Francisco Olavo, e o vice-presidente da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas de Brasília (UMESB), Thiago Ferreira Dias, foram enfáticos quanto aos problemas estruturais dos grêmios estudantis, como a falta de recursos para promover os eventos de interesse dos estudantes.
A estudante Julia Ferreira (CED 12) salientou a necessidade de mais cultura e política dentro das escolas. "A cultura é muito importante e a política em si é bonita, mas precisamos de mais, e precisamos de políticas que deem mais voz aos alunos nas escolas". Para Adrielle Galdino, diretora de imprensa do grêmio estudantil do Elefante Branco, "quando há o interesse dos grêmios, automaticamente há um crescimento político dos alunos", declara.
Cidadania - Durante a audiência pública, alguns distritais discursaram enfatizando a relevância dos movimentos estudantis para a formação de cidadãos. O deputado Reginaldo Veras (PDT), cumprimentou os estudantes presentes e lamentou, juntamente com o deputado Israel Batista, o projeto de lei em tramitação na Casa que proíbe a expressão política nas escolas. "Precisamos barrar a Escola Sem Partido. Se ela passar, os grêmios estudantis vão acabar, não haverá liberdade para debates políticos", declarou Veras.
O deputado distrital Wasny de Roure (PT) destacou em sua fala que "a política será pior quanto mais distante ela for para nós", declara o distrital. Já o deputado Chico Leite (PT) propôs a criação de uma Comissão Especial da Juventude que contou com a concordância de Israel Batista. Os parlamentares Rodrigo Delmasso (PTN), Júlio Cesar (PRB) e o deputado federal Rôney Nemer (PMDB/DF) também expressaram apoio aos grêmios estudantis.
O assessor de comunicação da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal, Patrick Selvatti, saudou o trabalho dos grêmios estudantis relembrando a iniciativa de 10 estudantes que procuraram a Secretaria de Educação atrás de explicações e providências para a greve dos professores no início deste ano. Já a subsecretária de juventude da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal, Aline Bezerra, destacou o papel dos grêmios estudantis e relembrou dos eventos programados para o mês da juventude, e a secretária de Estado de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, Jane Klébia Reis, em uma fala emocionada, parabenizou os estudantes e ressaltou que "os movimentos estudantis produzem grandes líderes".
Ascom CLDF
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...