quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Laços de família em licitação do GDF


A jornalista Kelly Almeida com a colaboração de Rafaela Lima, publicou em seu perfil pessoal na internet ( http://migre.me/r4Fy4matéria em que denuncia licitação duvidosa do GDF, confira íntegra da matéria.

Quem passar pelo Eixo Monumental, em frente ao Palácio do Buriti, vai notar que há uma frota de caminhões abarrotando o estacionamento, em geral, usado pelos servidores do GDF.
Desde a manhã desta quinta (6), perto de 150 caminhoneiros que integram a Coopercam saíram da Cidade do Automóvel, onde ficam baseados, tomaram as pistas do Eixo e estacionaram ao lado da sede do governo local. Um jeito nada discreto de fazer pressão contra o GDF.
Mas o que essa turma quer do governador Rodrigo Rollemberg (PSB)?
Confira o que sabemos até agora:
- Entre os motivos do protesto, os caminhoneiros exigem receber do GDF uma fatura de 15 milhões de reais referente a serviços prestados entre novembro e dezembro do ano passado.
- Mas eles têm muito mais a cobrar. Estão inconformados porque perderam o contrato de prestação de serviço com o GDF. Nos últimos 72 meses, a Coopercam era dona desse mercado milionário, que atuava no apoio à limpeza e manutenção nas Regiões Administrativas.
- Em junho, no entanto, saiu o resultado da licitação referente ao Pregão Eletrônico 148/2014. As empresas LN Distribuidora e Comércio Ltda e WLSP Logística e Construção venceram a concorrência dividida em cinco lotes. Ambas têm sede na Bahia. O valor do contrato é de 60,3 milhões de reais, 25% menor do que o estimado no edital da licitação.
- Tirando a saudável economia no serviço, todo o resto da história é suspeita. As duas empresas pertencem à mesma família. O dono da LN, Lázaro Nunes, é casado com Caroline Cruz. Ela é filha de Antônio José da Cruz, companheiro de Gilvana Lima, representante legal da WLSP. Importante: Antônio José é ex-vereador de Salvador, pelo PSB.
- Além do vínculo entre os proprietários da LN e da WLSP, Caroline é sócia da Podium Distribuidora, que também participou da licitação em Brasília, mas não levou. As duas últimas empresas, inclusive, são vizinhas na capital baiana.
- Em meio a tantas conexões perigosas, surge mais um fato curioso. A LN nomeou José Henrique Oliveira de Souza em primeiro de junho seu representante legal em Brasília. Henrique foi candidato a deputado distrital pelo PSB, partido do ex-vereador Antônio José e do governador Rodrigo Rollemberg.
- Já nos primeiros dias de vigência do contrato, uma das empresas demonstrou falta de capacidade técnica para cumprir o prometido. No dia 29 de julho, o governo contabilizou em um ofício pendência de 73 caminhões de um lote de 189.
- Há duas semanas, Rodrigo Rollemberg foi procurado por Valdelino Barcelos, presidente do Sindicato dos Caminhoneiros e da Coopercam. Valdelino contratou um serviço que descobriu toda a conexão entre as empresas. De posse das informações, passou a exigir a revisão da licitação, sob pena de denunciar a história. Quem intermediou os primeiros contatos de Valdelino com representantes do GDF foi o deputado Julio Cesar Ribeiro (PRB).
- Diante do protesto dos caminhoneiros, o presidente do PSB no DF e secretário de Articulação do DF, Marcos Dantas, recebeu uma comitiva de manifestantes. Na tarde desta quinta (6), a presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão (PDT), se comprometeu a receber Barcelos.
- Ao que tudo indica, o veto ao projeto que proíbe o funcionamento do Uber em Brasília será a menor das dores de cabeça de Rollemberg nos próximos dias.


Procuração da LN Distribuidora dando poderes a Henrique Oliveira


Por Kelly Almeida / Colaborou Rafaela Lima

Foto: Daniel Ferreira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...