terça-feira, 8 de setembro de 2015

Em nove meses, GDF apresenta inexperiência e falta de gestão


A frase tão propagada pelo então candidato a governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), durante a campanha eleitoral de 2014 de que: "Dinheiro tem, o que falta é gestão", foi substituída aos poucos, nestes nove meses pela frase que o deputado Chico Vigilante (PT), vem dizendo há tempos na CLDF, de que "Dinheiro tem, o que falta é competência". 

Nos últimos nove meses, vários brasilienses já se perguntam onde e quando o governo Rollemberg irá realmente começar. A crise política do GDF é explicitada na falta de gestão do atual mandatário. Nesses poucos meses, já se desligaram do governo, cerca de seis secretários, entre eles figuras de grande peso político, a exemplo de Hélio Doyle (Casa Civil) e o indicado por Aécio Neves (PSDB) para a Fazenda, Raimundo Colombini. 
Na saúde, por exemplo, o atual secretário Fabio Gondim é o segundo secretário a assumir a gestão da saúde, que segundo Chico Vigilante, está "capengando". A todo momento, assistimos alguém do GDF falando na TV ou no Rádio sobre a falta de recursos e culpam a gestão petista (2010-2014), que antecedeu o pessebista. Chico Vigilante baseado nos dados do Sistema Integrado de Gestão Governamental(Siggo), provou que o dinheiro existia, e que em mais uma demonstração de inexperiência, o falatório de que só havia 64 mil reais nas contas do GDF foi por água abaixo.
Outro detalhe importante e que mostra que o GDF não anda tão mal das pernas como a gestão Rollemberg diz. é que recentemente, o governador apresentou um plano de investimentos de mais de R$ 5 bilhões.
A sociedade se pergunta: Se o GDF está sem dinheiro como propaga o governador, de onde vem esses recursos? 
Servidores - Motor da máquina administrativa, os servidores do DF aguardam com apreensão os próximos meses. Após os vários ataques sofridos no início do governo, o GDF ainda diz que os salários do fim do ano podem atrasar. A licença-prêmio por exemplo, tem sido alvo dos protestos de várias categorias, pois o governo resolveu dar um calote neste importante direito. Na lista da gestão desastrosa de Rollemberg ainda cabe a ameaça de parcelamento dos salários dos funcionários públicos e o não pagamento dos aumentos concedidos no governo petista.
Já os trabalhadores terceirizados, clamam pelo pagamento dos seus salários. Em audiência pública proposta por Chico Vigilante para debater o tema, que contou com a presença de servidores, empresários e a não participação do GDF, foi informado que a gestão não estava realizando o pagamento as empresas, dificultando assim, o pagamento para estes trabalhadores.
Em entrevista ao Jornal de Brasília, o especialista em administração pública na Universidade de Brasília (UNB), José Matias Pereira atesta a inexperiência do governo pessebista com a intensa troca de secretários.  “Não podemos ignorar que o governador não tem, no currículo, histórico de gestor. Ele nunca esteve à frente de alguma instituição grande ou de uma prefeitura ou algo nesse nível", finalizou. 
Dinheiro em caixa - Para se ter uma ideia de que o dinheiro existe no caixa do GDF, o Sistema Integrado de Gestão Governamental (SIGGO), mostra que na última quinta-feira (3), à administração pessebista contava com mais de dois bilhões e 300 milhões em caixa.
Já na saúde, alvo constante das denúncias de Chico Vigilante, o orçamento para este ano prevê um montante de R$ 5,2 bilhões. Mas, por incompetência, o governo liquidou apenas R$ 2,5 bilhões. Além deste, a Secretaria contava na última quarta-feira (02) com outros R$ 392 milhões para serem usados em contratos emergenciais.
Enquanto a população sofre com a ineficiência governamental, já se passaram nove meses de promessas não cumpridas. 
Confira algumas promessas do então candidato Rollemberg:

  • ·         Eleição para escolha dos administradores regionais
  • ·         Abrir a senha de acesso ao Siggo para a população do Distrito Federal, para que todos tenham acesso as contas do GDF, já no primeiro mês da sua gestão;
  • ·      Implantação do bilhete único, para que o passageiro  tenha acesso ao transporte público do DF com apenas um bilhete;
  • ·         Aumentar a frequência dos ônibus, para que possa diminuir o tempo de espera dos passageiros nos pontos;
  • ·         Expansão do metrô;
  • ·         Implantação da educação integral em todas as escolas do DF;
  • ·         Construção de novas escolas;
  • ·         Melhorias da renumeração dos professores;
  • ·         Construção de 369 novas creches;
  • ·     Melhorias na renumeração da Policia Militar e do Corpo de Bombeiro;
  • ·         Aumento de efetivo policial nas ruas do DF;
  • ·         Nova contratação de agentes comunitários

Por Marcos Paulo Lima
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...