quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Mulher é condenada a 10 anos de prisão por colaborar com homicídio em Ceilândia


Na última sexta-feira, 25/9, o Tribunal do Júri de Ceilândia acatou a tese do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) para condenar Cleide Alves do Nascimento a 10 anos de prisão, em regime fechado, pelo homicídio qualificado de Ronaldo Leite da Silva. O crime ocorreu em 30 de junho de 2008, na QNN 23, em Ceilândia. A acusada suspeitava que a vítima teria publicado fotos seminuas da filha dela numa rede social.

Relembre o caso 
Segundo a denúncia da Promotoria de Justiça do Júri de Ceilândia, o crime foi cometido por volta das 16h30, quando Cleide instigou Márcio Barbosa Cardoso a efetuar disparos de arma de fogo contra a vítima. Silva não teve como se defender, pois os denunciados abordaram-no enquanto estava sentado em uma calçada, conversando distraído com um amigo. A acusada teve participação no homicídio, na medida em que levou o executor até o local do crime para indicar onde a vítima estava.
A denunciada teria descoberto, no dia do crime, que alguém teria publicado as fotos de sua filha seminua na rede social Orkut. Cleide, que suspeitava da vítima, chegou a procurá-la, ocasião em que se desentenderam e levaram a denunciada a expor os fatos ao executor e instigá-lo a cometer o crime.
Em julgamento anterior, realizado em 2014, a Promotoria de Justiça do Júri de Ceilândia conseguiu a condenação do executor Márcio Barbosa Cardoso, que recebeu a pena 15 anos e 9 meses de prisão, em regime fechado, pelo homicídio qualificado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...