quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Depois de sucesso em Ceilândia, exposição Sentidos do Nascer aterrissa na área central de Brasília


Depois de emocionar quase duas mil pessoas em Ceilândia, a exposição Sentidos do Nascer chega à área central de Brasília (estacionamento ao lado do Conjunto Nacional) no dia 30 de outubro, onde permanece até dia 25 de novembro. Trata-se de um circuito onde homens e mulheres de todas as idades, incluindo crianças, sentirão na pele como é estar grávida (o). O projeto foi idealizado pela pediatra, epidemiologista e coordenadora da Comissão Perinatal da Secretaria de Saúde de Belo Horizonte, Sônia Lansky, e pelo professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Bernardo Jefferson de Oliveira. 
Ao entrar na exposição, os visitantes, homens e mulheres, veem sua barriga crescer por meio de uma tela de realidade virtual. Na sequência, entrarão no Mercado do parto, que faz uma crítica ao tratamento da gestação e parto como um negócio. Com produtos “à venda” e dispostos em gôndolas, os visitantes serão confrontados com o interesse econômico que permeiam o nascimento no Brasil e que leva à massificação da experiência do nascimento que, por essência, é única. 



Com inspiração na realidade, as mensagens são levadas ao extremo sob uma perspectiva propositadamente bem humorada, para provocar uma reflexão. Um dos produtos, intitulado Parto Programado faz referência aos riscos de o bebê nascer prematuro com o agendamento de cesarianas: “Marque a data do nascimento de seu filho e ganhe uma diária na UTI neonatal”.
Outra mercadoria, o Big Brother do Bebê é uma crítica à separação de mãe e filho, prática recorrente nas maternidades brasileiras, com a seguinte mensagem: “Pra quê colo de mãe? Na Maternidade Cirúrgica você e sua família podem descansar em paz enquanto seu filho chora sozinho no nosso berçário”.

O terceiro ambiente é o marco da exposição Sentidos do Nascer. O Controvérsias é o espaço para o diálogo entre os sujeitos que comumente opinam e influenciam a decisão da mulher sobre a via de parto: cirúrgica ou vaginal. Com uma linguagem simples e direta, simula o que os casais grávidos costumam ouvir durante a gestação. 


O filme mostra desde a mãe da gestante, que defende a cesariana marcada por desacreditar na capacidade da mulher em suportar a dor do parto normal, passa pela amiga que viveu a experiência de um parto humanizado em que o protagonismo da mulher foi respeitado, pela doula, por profissionais de diferentes áreas da saúde e chega aos médicos, sendo um a favor da praticidade da cesariana agendada e o outro que acredita na importância de esperar pelo trabalho de parto, que sinaliza que o bebê está pronto para nascer, e defende o parto normal. A fala final é do pediatra que explica os benefícios do parto normal para a saúde do bebê que se estendem, inclusive, na vida adulta. Toda a argumentação do vídeo é fundamentada em evidências científicas reconhecidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Após o vídeo, o público segue para a experiência sensorial do Nascimento, onde ouvirá sons de batimentos cardíacos e ruídos de água que reproduzem os barulhos internos que a criança ouve quando está no ventre da mãe. Os visitantes simularão a entrada no útero e passarão pelo canal de parto. Ao final, serão recebidos pela imagem de uma mulher de braços abertos.

Por último, o público se encontrará no espaço Conversas, uma área de convivência em que será possível aprofundar nos temas abordados na exposição, conversar e trocar experiências. Além de textos que estarão disponíveis em grandes painéis e filmes sobre o nascimento, mediadores poderão esclarecer as dúvidas de cada um e quem quiser poderá deixar um depoimento que será registrado em vídeo. É uma oportunidade para que cada visitante coloque sua voz nesse amplo debate.

A mostra tem o objetivo de levantar questionamentos que envolvem a percepção do nascimento e incentivar o parto normal. Em meio a uma epidemia de cesarianas no Brasil, Sentidos do Nascer busca uma mudança cultural que garanta o bem-estar e os direitos da mulher e do bebê nesse momento. Dados do Ministério da Saúde apontam que 57% dos partos realizados no Brasil são cesarianas, sendo que a taxa ideal, segundo a OMS, seria de 15%. A mostra já passou pelo Rio de Janeiro, Niterói e Belo Horizonte. 

No Distrito Federal, passou por Ceilândia (de 9 a 24 de outubro) e segue agora para o shopping Conjunto Nacional (de 30 de outubro a 25 de novembro) e para o Centro de Convenções Ulysses Guimarães (de 1 a 5 de dezembro), dentro da programação da 15ª Conferência Nacional de Saúde. A entrada é franca.

Sentidos do Nascer é uma realização da Universidade de Brasília (UnB), Ministério da Saúde, BH pelo Parto Normal, Universidade Federal de Minas Gerais e Prefeitura de Belo Horizonte.​
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...