terça-feira, 3 de novembro de 2015

Adolescente de Ceilândia é selecionado para intercâmbio nos Estados Unidos


Dois estudantes do Distrito Federal, alunos da rede pública de ensino, foram selecionados para participar do Programa Jovens Embaixadores. Criada pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, a iniciativa envia todos os anos estudantes brasileiros de 15 e 18 anos aos EUA para vivenciarem a cultura americana. Neste ano em todo o país, foram 13.800 inscritos - 517 do Distrito Federal, sendo oito finalistas. Além do bom nível de inglês, os estudantes selecionados precisam ser exemplos de engajamento social em suas comunidades, ter excelente desempenho escolar, ser comunicativo, ter boa relação na escola, perfil de liderança e iniciativa.

Um deles é Danilo Ricardo Rodrigues, 17 anos, aluno do Centro de Ensino Médio 4, de Ceilândia (DF). Ele foi surpreendido com a visita da embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Liliana Ayalde, e do secretário de Educação, Esporte e Lazer do DF, Júlio Gregório Filho, na manhã da quarta-feira (28), em sua residência. Muito emocionado, o estudante agradeceu a oportunidade. “Eu sei bem como é chegar muito perto e não ser selecionado. Visto essa camiseta para todos aqueles que não conseguiram participar esse ano e peço que não desistam”, disse. Danilo foi finalista na seleção no ano passado, mas não obteve nota suficiente no idioma para participar do programa.

Além de frequentar as aulas regulares no CEM 4, o jovem também estuda inglês e japonês no Centro Interescolar de Língua de Ceilândia e francês, como bolsista na Aliança Francesa. A paixão por línguas é antiga. “Desde pequeno sempre gostei de estudar e conhecer a cultura de outros países. Os livros sempre foram minha melhor possibilidade para isso. Meu objetivo agora é estudar medicina e utilizar minhas habilidades em outros idiomas para participar de missões diplomáticas e atender pacientes e entendê-los, plenamente, seja lá qual for a língua falada por eles”, afirma.

A experiência de passar algumas semanas nos Estados Unidos já foi vivida por outros jovens da rede pública, como a estudante Paloma Rodrigues, 17 anos. Aluna do CIL de Brasília, ela participou do programa em 2013. Em Washington, capital, aprendeu sobre liderança e engajamento, enquanto morou, por um mês, com uma família americana. “Aprender uma outra língua é como conhecer o mundo de uma outra forma, que você não conheceria se não falasse o idioma”, afirma. Paloma hoje estuda Relações Internacionais na Universidade de Brasília e quer ser diplomata.

Para o secretário de Educação, Esporte e Lazer, Júlio Gregório Filho, exemplos como os destes jovens sustentam a força de vontade dos estudantes da rede pública e também reforçam o poder que a educação têm de transformar realidades. “O programa Jovens Embaixadores retrata o que sempre afirmamos: que o fato de estudar em escola pública não faz de ninguém inferior. É importante sonhar e usar todas as ferramentas que o ensino gratuito oferecem para, aliadas ao empenho individual, vencer as dificuldades socioeconômicas e alcançar seus objetivos".

"Trata-se de um programa muito competitivo, que prioriza o trabalho humanitário. A seleção é mérito pelos esforços individuais dos jovens na atuação em suas comunidades e eles voltam renovados, cheios de expectativas positivas”, afirma a embaixadora dos EUA no Brasil, Liliana Ayalde. Ela acredita que os jovens selecionados têm uma diversidade muito grande para representar o Brasil lá fora. “O Distrito Federal reúne essa diversidade cultural e tem essa peculiaridade política”, disse, durante a visita.

Para garantir uma vaga, os estudantes inscritos são submetidos a testes orais e escritos em inglês para a verificação da fluência no idioma, recebem visitantes avaliadores em suas residências para verificação socioeconômica e relação familiar.


A outra aluna selecionada no programa deste ano é Melissa Colleen Vilas Boas de S. Pereira, do Centro Educacional 104, do Recanto das Emas.

Secretaria de Educação do DF
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...