terça-feira, 3 de novembro de 2015

Ceilândia recebe o espetáculo Fio a Fio nesta quarta-feira


Após 20 anos longe dos holofotes atuando nos bastidores como coreógrafa e pesquisadora, Giselle Rodrigues une-se a Édi Oliveira, que há cinco anos também dedica-se exclusivamente à pesquisa, no espetáculo de dança-teatro contemporâneo Fio a Fio, que propõe uma abordagem poética sobre a velhice, período da vida em que precisamos lidar com o acúmulo dos anos sobre o corpo,  será apresentado no Sesc Ceilândia, no dia 4 (quarta), e no Sesc Gama, no dia 9 (segunda).

O que representa viver com um corpo que perde capacidades e, ao mesmo tempo, ganha sabedoria com experiências adquiridas? Como aceitar ou lutar com o fato de que quando estamos mais prontos para a vida é quando nosso corpo mais precisa de trégua? A intuição da morte, a perda da memória, a fragilidade física, a solidão, mas também o afeto, a companheirismo, a serenidade, permeiam, entre outras questões, uma atmosfera na qual o tempo é sentido por meio da dilatação e da contemplação. E quando a velhice é abordada em sua dureza e em sua doçura.

Das indagações nasce Fio a Fio, espetáculo de dança-teatro criado com a intenção de trazer a dança contemporânea à uma perspectiva mais dramática e teatral, onde a questão do envelhecimento e seus aspectos são tratados numa narrativa não-linear, que transita entre o realismo e o absurdo, entre o cotidiano e o non-sense. “Desde o princípio do processo, buscamos dar ênfase a uma composição que primasse pelo detalhe, pela sutiliza e pela abordagem poética de pontos difíceis e até tabus sobre o processo de envelhecer. Como contraponto, procuramos dar uma poeticidade surgida de um trabalho com a palavra que nasceu do improviso, gerando textos presentes no espetáculo”, explica Édi Oliveira, que destaca que é a primeira vez que os parceiros de Basirah dançam juntos. “Giselle sempre atuou como coreógrafa e eu como bailarino em trabalhos anteriores. É um encontro que reúne nossas experiências e vivências agora aplicadas num processo criativo coletivo”, acrescenta. Essa direção coletiva contou com a participação de Kênia Dias, bailarina de Brasília que atua em São Paulo.

A temática, muitas vezes não muito fácil no mundo ocidental, nasceu durante sessões de improvisação abertas que Édi e Giselle vinham realizando como parte de uma pesquisa sobre processo de criação. A maturidade dos bailarinos e as conversas sobre o assunto durante esses encontros foi um dos elementos que levou à definição do tema. “Foi brotando o desejo de falar sobre como e quando começamos a envelhecer, quando o corpo começa a não realizar atividades que antes eram simples. Meu próprio corpo é reflexo disso. Voltar a dançar após vinte anos fora dos palcos, período utilizei os intérpretes como elementos nas minhas coreografias, é uma redescoberta e um aprendizado sobre esse novo corpo, que também envelhece a cada dia”, comenta Giselle Rodrigues.

O projeto conta com o patrocínio do FAC, Fundo de Apoio à Cultura, Secretaria de Cultura e Governo do Distrito Federal.

Ficha técnica:
Concepção, coreografia e interpretação – Giselle Rodrigues e Édi Oliveira
Direção coletiva – Giselle Rodrigues, Édi Oliveira e Kênia Dias
Ensaiadora – Fabiana Marroni
Colaboração artística – Kênia Dias e Marcelo José
Desenho de Luz – Dalton Camargos
Cenário e figurino – Roustang Carrilho
Trilha Sonora – Tomás Seferin
Design Gráfico – Maíra Zannon / Ilha Design
Fotos – Diego Bresani
Vídeo – Vinícius Fernandes
Assessoria de imprensa – Jaque Dias e Cíntia Rogner / Tato Comunicação
Produção executiva – Naná Maris Produções Culturais
Estagiários artísticos – Marcia Regina e Gustavo Letruta
Operação de Som – Gustavo Letruta
Operação de Luz – Moisés Vasconcelos

Serviço:
"FIO A FIO”, espetáculo inédito, com os coreógrafos e bailarinos Giselle Rodrigues e Édi Oliveira.
Dia 04 de novembro de 2015. Quarta-feira, às 16h e as 20h, com entrada franca. Teatro Newton Rossi, Sesc Ceilândia. St. P Qnp 5 Conjunto B, S/N - Ceilândia Norte, Brasília – DF.
Dia 09 de novembro de 2015. Segunda-feira, às 16h e as 20h, com entrada franca. Teatro Paulo Gracindo, Sesc Gama. St. Leste Industrial, Gama/ DF.

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 14 ANOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...