quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

BRB quer cobrar pela emissão de tickets dos restaurantes comunitários do DF

O GDF (Governo do Distrito Federal) encontrou mais uma dificuldade em manter o preço cobrado nos restaurantes comunitários. De acordo com matéria publicada no portal Fato On Line, o BRB (Banco de Brasília), responsável pela venda dos tickets de cobrança das refeições, anunciou que pretende passar a cobrar R$ 0,41 por cartão emitido. O GDF pediu um prazo de 180 dias a partir desta terça-feira (12) para encontrar maneiras de reverter a cobrança.

Cobrança

Desde a implantação dos restaurantes comunitários, em 2001, o banco não cobrava pelo serviço feito por meio dos guichês da rede de conveniência, instalados dentro dos restaurantes ou próximo a eles. Agora, com a renovação do contrato, o BRB estabeleceu a obrigatoriedade do pagamento.
Para tentar evitar o desembolso do dinheiro ou até mesmo a cobrança, o GDF pretende propor à direção da instituição financeira uma permuta, disponibilizando espaços nos restaurantes para publicidade do banco.  

Concessão

O secretário de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, Joe Valle, explicou que, de acordo com a proposta, o governo entra com a concessão do espaço e o BRB, com a prestação de serviço. Ele acrescentou, ainda, que compreende a cobrança, mas ponderou que o governo tentará impedir mais gastos aos cofres públicos.
Valle afirma que após o aumento no preço das refeições, de R$ 1 para R$ 3, em outubro do ano passado, houve uma redução de 50% no número de clientes. Segundo ele, a população de baixa renda com cadastro no Cras (Centro de Referência de Assistência Social) passou a procurar a secretaria para pedir cestas básicas, por não ter condições de arcar com o reajuste.

Controle

Os restaurantes comunitários funcionam de segunda a sábado, exceto nos feriados, das 11h às 14h. O controle de desperdício e a fiscalização da higiene e da qualidade dos alimentos são feitos por empresas prestadoras de serviços. No DF, são 11 restaurantes distribuídos pelas regiões administrativas com maior número de famílias de baixa renda, como Recanto das Emas, Planaltina e Itapoã. A diretoria do BRB informou que a área responsável pelos contratos ainda está negociando a cobrança junto ao GDF.
*Informações do portal Fato On Line 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...