sábado, 9 de janeiro de 2016

VÍDEO - Mulher é agredida por seguranças em Hospital Regional de Ceilândia por tentar conseguir atendimento para a mãe

*Por Kleber Karpov / Política Distrital - Um vídeo denunciado por meio do aplicativo Whatsapp e também no site do YouTube mostra o momento em que um segurança do Hospital Regional de Ceilândia (HRC), agride e expulsa uma mulher de dentro da unidade. De acordo com a denunciante, identificada por Sterfani Zaira, a mulher agredida entrou no Hospital para tentar conseguir atendimento para a mãe que passava mal e precisava de atendimento médico. O vídeo mostra o momento em que a mulher foi retirada de dentro do HRC a base de pontapés.
O caso aconteceu aparentemente na quinta-feira (7/Jan), mas veio a público somente após uma mulher que se identificar por Sterfani Zaira denunciar o caso por meio do Whatsapp e publicação do vídeo no Youtube. Em uma mensagem de texto Sterfani relata a agressão.
“Dia 07/01/15 no Hospital da Ceilândia, apareceu uma mulher com a mãe dela ela estava muito mal, o segurança do Hospital ‘quem já foi lá, sabe que são folgados’ não deixou a mulher entrar com a mãe e deixou as duas do lado de fora a mulher pra tentar ajudar a mãe entrou e advinha o segurança recebeu ela com vários chutes e saiu arrastando a mulher pelo corredor do hospital até o lado de fora. (SIC)”.
Nas imagens é possível ver um tumulto de pessoas se dirigindo para um hall que dá acesso à entrada da unidade, ouvir uma pessoa sugerindo a agressão, em tom alterado além do estampido de um som típico de um tapa. Em seguida é possível ver o segurança chutando a mulher e mais adiante outro segurança a arrasta pelo corredor. A agressão continua até que a usuária a cidadã é colocada para o lado de fora do portão de entrada do Hospital.
Policial Civil assiste a cena?
Chama atenção que nos momentos finais do vídeo é possível ver uma pessoa trajando um boné e um jaleco com a inscrição: “Polícia Civil”. Porém, o suposto policial, nada fez em relação à agressão por parte dos seguranças.
Posso ajudar?
Durante a gestão anterior a Secretaria de Estado de Saúde do DF, conseguiu dar um ar de atendimento humanizado por meio do serviço das recepcionistas do ‘Posso Ajudar¿’. No entanto, o contrato mantido entra a SES-DF e a empresa GVP foi cancelado em maio de 2015, o que deixou cerca de 520 recepcionistas sem emprego e retornou  figura dos antigos guardas, de uma empresa terceirizada, com cassetetes na cintura para atuar nas unidades de saúde do DF e conter a insatisfação dos pacientes pela falta de médicos, medicamentos, insumos.
Secretário de Saúde investigará o caso
Política Distrital conversou com o secretário de Saúde, Fábio Gondim, que afirmou não ter conhecimento do caso. Ao Blog, Gondim informou ainda que encaminhará sua equipe para apurar os fatos e que as devidas providências serão tomadas no caso de excesso dos seguranças. “Estou mandando meu grupo lá [Grupo de Apoio Assistencial]. Se isso aconteceu, todos serão punidos.”, afirmou Gondim.




*Por Kleber Karpov / Política Distrital
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...