terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Segundo Pesquisa, comércio é principal atividade moradores de Ceilândia


Criada em 1971, Ceilândia ocupa área de 29,10 quilômetros quadrados, abriga 489.351 pessoas e fica a 26 quilômetros do Plano Piloto. Segundo a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios, 64% moram na região administrativa há mais de 15 anos, 60,09% dos trabalhadores têm carteira assinada, mas apenas 44,94% da população exerce alguma atividade remunerada. O estudo foi apresentado nesta terça-feira (19), pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), na sede do órgão (Setor de Administração Municipal).

O comércio é a atividade predominante na região administrativa, na qual atuam 32,6% dos moradores, seguido por serviços gerais (21,69%). A renda per capita é de R$ 915,81 — R$ 992,44 em Ceilândia tradicional (engloba toda a região administrativa, exceto Pôr do Sol e Sol Nascente) e R$ 622,30 no Pôr do Sol e no Sol Nascente. São autônomos 22,81% dos moradores com atividades remuneradas, porém há poucos empregadores (1,14%).

A renda domiciliar média é de R$ 3.076. Exatos 42,65% recebem de dois a cinco salários mínimos; 21,62%, de um a dois; e 16,68%, de cinco a dez. Menos de 1% dos moradores ganha mais de 20 salários mínimos, e 12,87%, até um.

Do total de trabalhadores, 37,33% atuam em Ceilândia; 28,13%, no Plano Piloto; 10,26%, em Taguatinga. Já nos Condomínios Pôr do Sol e Sol Nascente, 46,54% trabalham na própria região administrativa; 17,10%, no Plano Piloto; e 11,72%, em Taguatinga. "Pessoas de menor escolaridade tendem a trabalhar na própria região administrativa, e isso ocorre tanto em Ceilândia tradicional quanto no Pôr do Sol e no Sol Nascente", destaca o diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas da Codeplan, Bruno de Oliveira Cruz.

Quanto ao meio de transporte, 48,61% utilizam ônibus para ir ao trabalho; 23,96%, veículo próprio; e 10,89% vão a pé. Entre os moradores, 69,70% têm residência própria, 23,26% pagam aluguel e 7,04% estão em moradias cedidas. Em Ceilândia tradicional, 86,18% da população tem escritura definitiva do imóvel em que vive. No Pôr do Sol e no Sol Nascente, 95,41% têm contrato de compra e venda.

Idade
A faixa etária de 25 a 59 anos representa 46% dos residentes. Pessoas acima de 60 anos somam 16,90%, e até os 14 anos, 20,80%. Considerando apenas os moradores dos condomínios Pôr do Sol e Sol Nascente, o porcentual de crianças aumenta para 27,84%, e o de idoso diminui para 5,69%. Na região administrativa, 57,94% declaram-se católicos, e 36,05%, evangélicos.

Dos quase 490 mil moradores, 51,67% nasceram no Distrito Federal. A maioria dos que se mudaram para a região vindos de outras unidades da Federação é do Nordeste (68,40%). Chegaram do Piauí 14,61%; da Bahia, 12,51%; e do Maranhão, 11,97%. No Pôr do Sol e no Sol Nascente, 51,86% são naturais de Brasília.

Instrução
De acordo com a pesquisa, 72,12% das pessoas que moram em Ceilândia não estudam, 23,47% estão em escolas públicas e 4,41%, em particulares. Dos que estudam, 35,96% têm nível fundamental incompleto; 23,94%, médio completo; e 6,02%, superior (incluindo especialização, mestrado e doutorado). Há, ainda, 17.510 pessoas acima de 15 anos sem alfabetização. Dos alunos moradores de Ceilândia, 84,50% frequentam escolas na região; 9,40%, em Taguatinga; e 2,86%, no Plano Piloto.

O acesso à internet pelo celular é realidade para 18,35% da população local e, pelo computador de casa, para 45,35%. Não acessam a rede mundial de computadores 34,73% dos moradores. Em Ceilândia, 61,89% dos domicílios ocupados têm internet, e 44,82%, TV por assinatura. Dos responsáveis pelos domicílios, 71,72% são homens. Do total, 44,84% estão na faixa etária com mais de 55 anos.

Infraestrutura
No levantamento, os problemas mais citados pelos moradores foram ruas esburacadas (48,14%) e presença de entulho (22,63%). Quase toda a região tem abastecimento de água (98,38%), de luz (98,28%) e é atendida pela rede de esgoto (80,96%). A coleta de lixo ocorre em 85,33% do território ocupado por Ceilândia.

O estudo também mostra que 53,95% dos domicílios têm acesso fácil a um ponto de encontro comunitário (PEC), 41,79% a ciclovias e 17,92% contam com ruas arborizadas nas proximidades.

A pesquisa foi feita de maio a setembro do ano passado com amostra de 2.100 domicílios e é a 13ª Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios de 2015 divulgada pela Codeplan. Participaram da divulgação o diretor de Estudos Urbanos e Ambientais da companhia, Aldo Paviani, e o administrador regional de Ceilândia, Vilson José de Oliveira.

Acesse a íntegra da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios 2015 de Ceilândia.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...