quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Distrital Luzia de Paula afirma que não responde a processo de investigação

A deputada distrital Luzia de Paula (Rede) afirmou, em nota divulgada nesta quarta-feira (18), que dançou em plenário na última terça (17) "em respeito aos artistas" que tocavam nas galerias da Câmara Legislativa. A música foi executada durante um ato de desagravo à parlamentar, que destinou R$ 1,1 milhão para shows em Ceilândia no fim do ano passado.

Na nota (leia íntegra abaixo), a parlamentar também diz que "determinou à administração de Ceilândia o encaminhamento dos processos referentes às emendas" para uma auditoria na Corregedoria do DF. 

Luzia de Paula afirma que não responde a processo de investigação e diz que os parlamentares apenas apontam onde as emendas devem ser investidas. A execução do orçamento fica por conta do GDF e o valor dos cachês segue critérios da Secretaria de Cultura, segundo a distrital.
No dia 16, Luzia fez um pronunciamento defendendo as próprias emendas no plenário da Câmara Legislativa e foi apoiada por parlamentares de vários partidos. Segundo ela, a música e a dança em plenário aconteceram quando a sessão foi interrompida.
A parlamentar também rejeitou a comparação com atitude semelhante da ex-deputada Angela Guadagnin (PT-SP), que comemorou a absolvição de um colega de partido em 2006 na Câmara federal.
Leia a íntegra da nota divulgada pela distrital:
"A deputada Luzia de Paula vem a público esclarecer que:
1 - NÃO RESPONDE processo de investigação.
2 - Primando pela transparência, na quinta feira (11), a deputada determinou à administração de Ceilândia, o encaminhamento dos processos referente as emendas de sua autoria para uma auditoria na corregedoria do DF.
3 - A responsabilidade pela execução das emendas é do GDF. O valor dos caches segue critérios da secretaria de cultura. Sem ingerência de qualquer parlamentar.
4 - O valor divulgado para a cultura de Ceilândia é de emendas de vários parlamentares.
5 - A deputada destinou em 2015 mais de 80% de suas emendas para a saúde, educação, infraestrutura e defensoria pública do DF.
6 - Ontem (16), grupos culturais fizeram um manifesto em apoio à cultura, na galeria da CLDF. A maioria dos parlamentares se manifestou apoiando à cultura no DF.
7 - A sessão foi interrompida por 30 minutos. Neste período alguns parlamentares dançaram em respeito aos artistas.
8 - Em relação ao comparativo entre o vídeo gravado na CLDF e o gravado na Câmara Federal em 2006. São situações completamente diferentes. Na CLDF a sessão estava interrompida e com presença de movimentos culturais. Na Câmara Federal, estavam em sessão, sem movimentos culturais e o tema da sessão era o mensalão.
Brasília, 17 de fevereiro de 2016.

Deputada Luzia de Paula"
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...