sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Hospital Regional de Taguatinga realiza primeira cirurgia oftalmológica em bebê

Uma criança de apenas três meses de vida foi submetida à cirurgia de fotocoagulação à laser para correção de retinopatia de prematuridade, no centro cirúrgico do Hospital Regional de Taguatinga. Com equipamento cedido pelo Hospital Regional da Asa Norte (Hran), a equipe foi formada por médicos dos Hospitais de Taguatinga, da Asa Norte e Materno Infantil (HMIB).
A paciente, encaminhada do Hospital de Ceilândia, foi atendida no ambulatório de oftalmologia do HRT para fazer um mapeamento de retina específico para prematuros. Segundo o oftalmologista José Alberto Aguiar, médico que diagnosticou a doença, a bebê apresentava um grau avançado da doença e, caso não fosse submetida rapidamente à cirurgia, poderia ficar cega.
INÉDITA- É a primeira vez que esse tipo de intervenção é feito no HRT com equipamento cedido pelo Hran. Segundo o superintendente da Região Sudoeste, o anestesiologista Benvindo Rocha Braga, a unidade de Taguatinga está pleiteando a aquisição do aparelho de laser para que mais cirurgias desse tipo possam ser realizadas no próprio hospital sem a necessidade de deslocamento de equipamento e mão-de-obra especializada. "Temos leito de UTI, anestesista e oftalmologista capacitados. E muita boa vontade também. Falta apenas ter um aparelho nosso", explica.

O superintendente ressalta que a importância desse serviço para a equipe do HRT é ter o paciente curado e os familiares felizes. "O empenho em fazer tudo dar certo e ver aquele bebezinho sair do centro cirúrgico com cem por cento de sucesso é muito gratificante", comemora.
Atualmente, no HRT são realizadas cirurgias de glaucoma, catarata, pterígio, estrabismo e plástica ocular. No ambulatório são atendidos pacientes a partir do nascimento.
DOENÇA - A retinopatia de prematuridade é uma doença muito comum em bebês prematuros ou com baixo peso ao nascer. Trata-se do crescimento desorganizado dos vasos sanguíneos que suprem a retina, os quais podem sangrar e, em casos mais sérios, a retina pode descolar e ocasionar a perda da visão da criança.
A doença acontece devido ao reduzido grau de desenvolvimento dos olhos e imaturidade dos vasos sanguíneos que, normalmente, acabam de se formar no final da gestação. Se não diagnosticada precocemente, pode levar perda total da visão. Em alguns casos, os vasos podem, também, crescer de modo desarranjado mesmo após o nascimento prematuro.
O tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, após o diagnóstico do problema, e tem como objetivo impedir o desenvolvimento de cegueira. No entanto, mesmo com o diagnóstico de retinopatia, em alguns casos, apenas é importante manter avaliações regulares no oftalmologista porque o risco da doença evoluir é baixo.
A cirurgia de fotocoagulação à laser para correção de retinopatia de prematuridade é feita com anestesia geral a fim de manter o bebê imóvel. Segundo os especialistas, é um procedimento delicado, pelo tamanho do bebê, mas indolor e seguro. O procedimento consiste em diminuir o fluxo de sangue na retina, evitando, assim, seu descolamento.
*Informações Agência Brasília
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...