segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Permissionários protestam contra privatização do Parque da Cidade

Responsáveis pela atividade econômica cotidiana do Parque da Cidade Sarah Kubitschek, os 43 permissionários do lugar querem participar da discussão sobre a privatização de áreas do local.
De acordo com o presidente da Associação dos Permissionários do Parque da Cidade, Almir Vieira, a categoria gera aproximadamente mil empregos diretos – sem falar em vários outros trabalhadores que usam o espaço para fins comerciais, entre os quais estão personal trainers e mesmo os vigias de carros nos estacionamentos.

Para Vieira, o governo do Distrito Federal deveria licitar áreas onde não há nada construído, como a Praça das Fontes e a antiga Piscina de Ondas. “As regras têm que ser claras, transparentes. Como o Governo não determinou normas, partimos do princípio de que o administrador do espaço que ganhar a licitação pode tudo”, avalia. “Inclusive nos tirar de lá, depois de todos investimentos que já fizemos”.
Um dos mais famosos permissionários do Parque, o diretor do Nicolândia Parque, Marco Antônio Gomes, também engrossa o coro por mais transparência e diálogo com o GDF. O pai dele fundou o parque de diversões há exatos 38 anos. Agora a família teme perder o direito de explorar o espaço. “Fizemos muitos investimentos nestes quase 40 anos e, atualmente, geramos 150 empregos diretos”, explica Gomes. Segundo ele, não é justo, portanto, que o governo faça as licitações sem ouvi-los. “Se o governo acha que o preço que nós pagamos é pouco, que ele baixe um decreto determinando novos valores a serem cobrados”, diz.
Também contrário à privatização, o deputado Chico Vigilante (PT) defende que o governo arrume outra maneira de explorar o espaço. “Que não seja pela privatização. Existem várias áreas vazias dentro do Parque que podem ser licitadas. Em todos os cantos do mundo os parques são públicos, não tem motivos para o Parque de Brasília ser privado”, enfatiza o parlamentar.
Para dar ouvido aos permissionários e usuários do Parque, o deputado Chico Vigilante vai organizar uma comissão para ouvir todos os envolvidos no processo, inclusive o Governo do Distrito Federal.  Além disso, o deputado pretende marcar uma audiência entre o governador Rodrigo Rollemberg e os permissionários.

DE OLHO NOS ESPAÇOS PÚBLICOS
Em novembro do ano passado, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, assinou uma resolução que autoriza a abertura de editais para pessoas físicas e jurídicas apresentarem projetos de gerenciamento de vários espaços públicos. Entre eles, o Jardim Zoológico de Brasília, o Parque da Cidade Sarah Kubitschek, o Centro de Convenções Ulysses Guimarães e a Torre de TV.
De acordo com informações do GDF, a ideia é oferecer espaços publicitários e pontos comerciais para ser explorados por empresas. Em contrapartida, elas devem arcar com a manutenção dos locais.
Por Veronica Soares 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...