terça-feira, 19 de abril de 2016

Administração de Ceilândia atua na conscientização contra o despejo irregular de lixo

Equipes da Administração de Ceilândia e do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU) realizaram, nessa sexta-feira (15), a limpeza de áreas públicas próximas à escolas da região. Mesmo com as constantes limpezas e a instalação de placas de advertência, a legislação não tem sido respeitada. Por isso, equipes da Administração de Ceilândia têm atuado sempre que flagram o descarte irregular de lixo. Durante a abordagem, é explicado que o despejo irregular, além de deixar a região mais suja, pode colaborar para o desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, Chikungunya e Zika Vírus.
A Agefis esclarece que aplica multas em caso de flagrante de despejo de lixo em local irregular ou quando é possível identificar o infrator. Para isso, a Agefis, ressalta que a ajuda da população é essencial. O valor das multas varia entre R$ 74 e R$ 185 mil, dependendo do local, da quantidade e do tipo de resíduo descartado.

O cidadão que flagrar um despejo irregular de lixo deve fotografá-lo ou filmá-lo, anotando sempre algum número de placa ou telefone da empresa, para que a Agefis possa identificar o infrator. As denúncias podem ser efetuadas pelo telefone 162 ou pelo site da ouvidoria geral www.ouvidoria.df.gov.br. O sigilo do denunciante é garantido.

Uma das alternativas adotadas pela Administração para coibir o descarte de material em locais proibidos é o plantio de árvores em áreas que não deveriam receber lixo ou entulho. Desde o início do ano, já foram plantadas mais de três mil mudas de árvores e cerca de quatro mil plantas ornamentais doadas pelos viveiros da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), além da implantação de jardins comunitários.

A iniciativa funciona em parceria com a comunidade local, que passa a cuidar da manutenção dessas áreas e evitar que a região volte a ser suja novamente. Em contrapartida, a Administração Regional de Ceilândia, a Novacap e o SLU realizam a limpeza do local e de algumas benfeitorias, como o cercamento da área e a doação de mudas de árvores e plantas ornamentais.

Desde que o projeto foi implantado em maio de 2015, jardins comunitários já foram criados nas regiões da QNN 25, em Ceilândia Norte, na QNM 29, e QNM 31, em Ceilândia Sul, e na QNP 14, no P-Sul. As áreas receberam cerca de 350 mudas ornamentais e nativas do cerrado além de 35 palmeiras e ipês. Terrenos próximos a escolas e áreas especiais da Ceilândia Sul e Norte, também receberam o plantio de mudas de árvores.

“Estamos buscando várias alternativas para coibir essa prática em Ceilândia, inclusive dando utilidade aos espaços, como a criação de jardins, mas mesmo nesses locais as pessoas continuam a jogar lixo”, explica o administrador de Ceilândia, Vilson Oliveira.

*Informações Administração de Ceilândia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...