quinta-feira, 16 de junho de 2016

Novo modelo de saúde começa a funcionar em Ceilândia no segundo semestre


A Secretaria de Saúde espera que, vencidas as etapas iniciais, o projeto Brasília Saudável, que muda para a atenção primária, com estratégia de saúde da família, o foco da saúde pública no Distrito Federal, comece a ser implementado no segundo semestre deste ano, primeiramente na região de Ceilândia. A partir dessa implementação, o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, acredita que a população muito rapidamente começará a sentir os efeitos dessa mudança. Para ele, em 45 dias, a partir da implementação, os efeitos positivos no atendimento já serão sentidos.

O projeto Brasília Saudável altera a forma como se dará o atendimento de saúde da população. Hoje, o atendimento é muito centrado nas emergências dos hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Essas são hoje as principais portas de entrada do cidadão na saúde pública de Brasília. O que se propõe é que essa porta de entrada passe a ser o pronto atendimento, com o cidadão sendo atendido por equipes de saúde da família. Essas equipes são compostas por um médico, enfermeiros e auxiliares de enfermagem, agentes comunitários de saúde e equipes de saúde bucal. Essas equipes atuam de forma territorializada, atendendo a uma população de, no máximo, quatro mil pessoas. Essa experiência vai começar pela Ceilândia, que é a região mais populosa, com mais carência e hoje com uma cobertura de atenção primária em torno de somente 20%. Para a implantação do novo projeto, a Secretaria propõe contar com a parceria de Organizações Sociais.

"Em torno de 60% do que hoje é atendido nas emergências dos hospitais, poderia ser resolvido na atenção primária, com foco na saúde da família. É isso o que queremos. Quando o sistema estiver totalmente implantado, as emergências estarão desafogadas, sem as filas de hoje", acredita Humberto Fonseca.

É por essa razão que os efeitos serão rapidamente sentidos, depois do início do projeto. Mas, para que ele se inicie, algumas etapas iniciais precisam ser vencidas. A primeira é que o projeto Brasília Saudável precisa ser aprovado pelo Conselho de Saúde. Desde o final da semana passada, os integrantes do Conselho de Saúde já estão analisando o projeto e, em breve, deverão se pronunciar sobre ele.

Ao mesmo tempo em que o conselho analisa o projeto, a Secretaria está fazendo a qualificação das Organizações Sociais que eventualmente poderiam ser parceiras, a partir de contratos de gestão. Esse processo de qualificação implica a avaliação das Organizações existentes no país, para verificar quais delas têm o perfil de atuar na área da saúde e quais delas se enquadram nas exigências da Lei 1048, que trata desse tipo de parceria. Feita essa qualificação, é feito um chamamento público, no qual a Secretaria faz o orçamento de cada contrato e estabelece as metas e demais exigências que precisarão ser cumpridas. Ganha a Organização Social que oferecer o melhor projeto. Assinado o contrato, começa-se a sua implementação. Espera-se que essas etapas sejam vencidas até o segundo semestre. Aí, efetivamente, o projeto se inicia.

Pelo projeto de atenção primária, com foco na saúde da família, o atendimento passa a ser centrado nos problemas específicos da população atendida. Se, por exemplo, há naquela população muitos problemas respiratórios, essa equipe se capacitará para atender a esses problemas. "Um caso crônico de asma, por exemplo, pode ser tratado por essa equipe. Somente casos mais graves, mais agudos, é que seriam encaminhados para um pneumologista", explica o secretário. "Há um antigo slogan da Sociedade Brasileira de Medicina que diz: 'Médico de família, um especialista em você'. Esse é o espírito", completa Humberto Fonseca. Assim, com essa mudança – que vai começar pela Ceilândia, a expectativa que é que esteja estendido a todo o Distrito Federal até 2018 –, a forma de atendimento muda rapidamente para a população beneficiada. O cidadão passa a ter uma equipe que o acompanhar rotineiramente, o conhece pelo nome e sabe dos seus problemas de saúde e de suas necessidades.

*Agência Brasília
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...