sexta-feira, 10 de junho de 2016

Professora entra de atestado, e turma fica dois meses sem aula em Ceilândia


(G1 DF) Alunos do 5º ano da Escola Classe 56 de Ceilândia, no Distrito Federal, estão sem aula há dois meses, desde que a professora se machucou caindo na quadra, entrou de atestado e não foi substituída. A regional de ensino disse que o problema é recorrente nas 95 instituições da área. A Secretaria de Educação respondeu que as faltas são pontuais e que sempre consegue profissionais substitutos. Além disso, afirmou que elabora um novo concurso público. A instituição fica no Setor O.

Na sala são 33 carteiras vazias. A direção afirma que “várias vezes” solicitou à Secretaria de Educação professor substituto. “Nós mandamos até uma carta falando dessa angústia dos pais, nós ficamos na sala durante 15 dias, não foi, gente? Colocamos pessoa, uma pessoa durante 15 dias, só que ela não teve como sustentar mais.”
O problema também acontece com alunos do 3º ano da Escola Classe 38 de Ceilândia estão sem aula desde o dia 17 de maio. A autônoma Maria da Luz Gonçalves Lima conta que está sem trabalhar desde o dia em que o filho deixou de ter aulas. O aviso veio na agenda, e a escola não deu previsão de torno.
Sem saber que estava sendo gravada, a supervisora administrativa disse que o diretor do colégio não pode assumir a turma por ser “readaptado”. “Readaptado é servidor, um professor que não tem mais condições em sala de aula. Ele tem um problema vocal, ele tem um problema na coluna, ele tem qualquer problema que o impossibilita de dar aula, ele exerce outras funções fora da sala de aula.”
A regional de ensino diz ter dificuldades de convocar professores substituto porque temporários não querem pegar o serviço. Pela nova portaria, cabe ao diretor, coordenador ou supervisor, assumir enquanto não houver solução.
*Informações do portal G1 DF

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...