sábado, 16 de julho de 2016

Áudio: vice-governador fala em esquema de propina no GDF


Em uma gravação, o vice-governador do Distrito Federal, Renato Santana, e a presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde (SindSaúde), Marli Rodrigues, falam sobre um suposto esquema de propina instalado no GDF. Uma quadrilha estaria desviando recursos da Secretaria de Fazenda destinados à pasta da Saúde.
A notícia caiu como uma bomba nos corredores do poder distrital. No áudio, Santana revela que tomou conhecimento de um grande esquema de corrupção, no qual os contratos da Saúde só seriam fechados mediante o pagamento de 10% de propina. Marli, no entanto, diz que ouviu falar que o percentual pode chegar a 30%.
Na conversa entre o vice-governador e a sindicalista, não são citados os nomes de quem estaria por trás do pagamento de propinas, mas o estrago já foi suficiente para que a presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão (PPS), convocasse, na noite desta sexta-feira (15/7), uma reunião de emergência da CPI da Saúde. O encontro extraordinário — uma vez que a Casa se encontra de recesso — está marcado para as 10h da próxima segunda-feira (18/7).
O diálogo entre Santana e Marli foi gravado no apartamento do vice-governador, em Águas Claras. Na ocasião, também estava presente Valdeci Rodrigues, ex-funcionário do SindSaúde. Em um dos trechos mais polêmicos, o vice-governador reclama de não ter espaço algum na gestão do Distrito Federal e revela conhecer o esquema de propina, que seria de 10%. Marli conta que já ouviu falar em 30%. 

Ouça o áudio:


Nota do vice-governador Renato Santana
"O vice-governador Renato Santana repudia ter sido alvo de gravação ilegal de conversas com terceiros. Assim que teve conhecimento de suposta cobrança de 10% por pagamentos efetuados na Secretaria de Fazenda, reportou imediatamente as denúncias para o próprio governador Rodrigo Rollemberg e permanecerá seguindo essa conduta às possíveis práticas inadmissíveis à conduta no serviço público.
Com relação aos relatos da presidente do SindSaúde, a dinâmica será semelhante, desde que ela aponte os agentes objeto da denúncia trazida durante a gravação. O vice-governador se sente absolutamente à vontade em fazer as auto-críticas, a maioria delas fruto do que ele recebe como feedback da população nas ruas. Como servidor público há mais de 20 anos, a postura de apontar supostos desvios de conduta é ainda mais latente, fruto do compromisso com a coisa pública que fez quando entrou para os quadros do GDF por meio de concurso público."

*Com informações do portal Metrópoles

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...