sábado, 9 de julho de 2016

Ceilândia recebe ação do programa “Ame, mas não sofra”


O programa “Ame, mas não sofra”, que tem como objetivo apoiar e fornecer orientações aos familiares de dependentes químicos – como forma de fortalecer o combate ao uso de drogas –, inicia a temporada de ações itinerantes pelas regiões administrativas. E a primeira a receber as atividades será Ceilândia, na próxima quinta-feira (14/7), às 14h, no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), localizado na QNM 16. Os interessados precisam garantir inscrição por meio do telefone 2104-1819. São oferecidas 50 vagas.
Promovida pela Secretaria de Justiça e Cidadania do DF (Sejus/DF), a iniciativa que percorrerá as RAs, denominada “Unidade Itinerante de Apoio às Famílias”, promoverá, em parceria com o Movimento Integrado de Saúde Comunitária do Distrito Federal (MISMECDF), orientação individual, uma breve palestra informativa e terapia comunitária aos participantes. “A ideia é facilitar o acesso ao atendimento e às orientações prestadas aos familiares dos dependentes químicos. Nossa equipe multidisciplinar, composta por especialistas da área de prevenção e combate às drogas, está mobilizada para percorrer todo o DF e tornar o programa mais acessível”, diz o subsecretário de Políticas para Justiça, Cidadania e Prevenção ao Uso de Drogas, Hugo Sousa Lima.
Pessoas que precisam cuidar de crianças poderão participar tranquilamente da programação. Enquanto os adultos ouvem os especialistas, haverá um espaço especialmente dedicado ao público infantil, com trabalho de prevenção ao uso de drogas por meio de fantoches. “Não há desculpa para deixar de participar. Se alguém necessita de apoio e orientação para buscar tratamento relacionado ao uso de drogas na família, a hora é essa”, ressalta o subsecretário.

O programa “Ame, mas não sofra” conta com equipe multidisciplinar de profissionais, que têm a missão de orientar os familiares dos dependentes de drogas quanto aos cuidados consigo e à melhor maneira de abordar o ente querido em busca da superação do vício. A iniciativa é desenvolvida em eventos gratuitos por meio de palestras de profissionais especialistas, de depoimentos e da participação de grupos de apoio. Em 2015, o programa prestou 665 atendimentos. Desse total, 76% eram mulheres e 24% homens. Os familiares que mais procuraram ajuda foram as mães (33%). Quanto à substância utilizada, a maconha foi citada em 41% dos casos, seguida por álcool (27%) e cocaína (19%).

Programa “Ame, mas não sofra” – Unidade Itinerante de Apoio às Famílias
Quando: quinta-feira (14/7)
Horário: 14h
Local: Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), localizado na QNM 16, Área Especial, Módulo A, em Ceilândia Norte
Inscrições: 2104-1819
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...