segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Ceilândia vence Aparecidense e está na terceira fase da Série D

Foi sofrido. Era esperado. O Ceilândia eliminou um forte candidato a uma vaga na Série C e agora está a quatro jogos de recolocar o Distrito Federal em uma divisão do futebol nacional.
Já se sabia que a Aparecidense é um bom time. Também se sabia que o Ceilândia era superior tecnicamente a seu adversário. Contando com o apoio da torcida, o Ceilândia foi mais time que o adversário no primeiro tempo.
O primeiro tempo foi quase todo do Ceilândia. A rigor, a Aparecidense chegava apenas em chutes de longa distância. Artur estava seguro  e não dava chances ao adversário.
O Ceilândia, a seu turno, tinha dificuldade na última bola. Tentava pela direita, ora pela esquerda. Gilvan era implacavelmente marcado. A rigor o Ceilândia teve duas oportunidades no primeiro tempo: numa cobrança de falta com Baiano e bela defesa de Pedro Henrique e com Didão, mas o volante chutou acima da meta da Aparecidense.
Veio o segundo tempo e o panorama mudou. A Aparecidense, que não tinha dado as caras no primeiro tempo, tomou a iniciativa da partida e passou a rondar a área alvinegra. O Ceilândia tentava revidar, mas a Aparecidense tem um time muito compacto e dificultava a saída de bola do Gato Preto.
Foi preciso que a sorte desempenhasse um papel importante. Aos 7 minutos, a bola sobrou para Klécio dentro da pequena área e ele, livre de marcação, fez Ceilândia 1 x 0. Com o gol, a vaga não mais seria decidida nos pênaltis.
O gol não mudou o panorama da partida. Até então a Aparecidense era melhor. O time goiano, contudo, é um time pegador, mas tem dificuldade na última bola. Era necessário que a sorte desempenhasse o papel que desempenhara no gol do Ceilândia. E não demorou a ocorrer.
Aos 11, cruzamento na esquerda de ataque da Aparecidense, a zaga do Ceilândia não conseguiu afastar adequadamente e a bola sobrou para Jarlan bater rasteiro, a direita de Artur. Era o empate em 1 x 1. Com esse resultado a Aparecidense estava se classificando.
O Ceilândia acusou o golpe e poucas vezes nessa competição o Gato Preto perdeu em estrutura durante longos 7 minutos. O time sabia que precisava vencer de qualquer jeito. Tentava ir ao ataque e não conseguia. A Aparecidense mostrava a eficiência do seu jogo: joga e não deixa jogar.
O panorama da partida permaneceu com a Aparecidense melhor até os 16 minutos. Adelson colocou Formiga no lugar de Gabriel e trouxe Baiano para a lateral. Willian passou a jogar pelo meio, ao lado de Filipe Cirne.
O fato é que, se o Ceilândia não recuperou a superioridade, ao menos equilibrou o jogo. Aos 20, falta a favor do Ceilândia. Na cobrança, Badhuga antecipou-se  e desviou para o fundo da meta adversária. Ceilândia 2 x 1.
Após o gol, a Aparecidense lançou-se ao ataque, mas sem a estrutura que demonstrara ao longo de toda a competição. O Ceilândia perdeu ao menos três excelentes contraataques e poderia reclamar de um penalti não marcado em Willian.
No mais, o Gato Preto tratou de administrar o jogo e garantir a vaga às oitavas de finais da Série D. O adversário sairá amanhã. Nesse momento, a vantagem é do Fluminense de Feira. O Sete de Dourados precisa vencer por três gols de diferença.
*Informações CEC
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...