quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Secretaria garante que vinte e três escolas de Ceilândia foram revitalizadas


Ao voltarem às aulas nessa segunda-feira (15), os estudantes de 51 colégios da rede pública de ensino encontraram uma escola diferente. É que a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF) aproveitou o período de recesso escolar para realizar alguns ajustes nessas instituições. De acordo com SEEDF, foram investidos nos ajustes cerca de R$ 1,4 milhão. Os recursos foram disponibilizados por meio do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf), que distribui verba entre as unidades de ensino para que, de maneira autônoma, elas possam realizar pequenos reparos e executarem projetos pedagógicos. “Cada coordenação regional teve carta branca para eleger as unidades em que os reparos eram mais urgentes e viáveis de acordo com o recurso disponível”, explica o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho.
Entre as principais obras realizadas, estão troca de pisos, cobertura de quadras, reparos elétricos e hidráulicos, pinturas, instalação de aparelhos de ar condicionado, acessibilidade e ajustes em telhados. “São reparos pequenos, mas de grande relevância para as escolas, uma vez que elas são importantes para melhor atender a comunidade”, ressalta o subsecretário de Planejamento, Acompanhamento e Avaliação da SEEDF, Fábio Pereira de Sousa.
A Secretaria de Educação afirmou que na Ceilândia, foram feitas melhorias em ao menos 23 escolas. Uma delas, o Centro de Ensino Médio 2, a quadra foi coberta e a pista de atletismo foi revitalizada. “A gente tem aluna participando de competição internacional treinando em um espaço que não tinha melhorias”, lembra o coordenador regional, Marco Antônio de Souza. “São obras que podem trazer um benefício muito grande para os alunos e para a comunidade”, completa. 
Mesmo com o início do semestre letivo, outros ajustes ainda podem ser feitos nas unidades de ensino. “São pequenos reparos que não interferem no andamento das aulas”, finaliza Fábio Pereira de Sousa.
Parcerias da comunidade
O custo de algumas obras pôde ser reduzido graças às parcerias estabelecidas, por exemplo, com as administrações regionais e com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) que forneceram, entre outras coisas, maquinários e mão de obra para os trabalhos. “Esses parceiros sempre agregam para que consigamos realizar manutenções em um número maior de escolas”, enfatiza o coordenador regional de Sobradinho, Marco Aurélio de Souza. “Eu tenho mais de 20 anos de experiência como professor e a gente sabe que educação não é só o pedagógico. A estrutura também é muito importante. Quando o aluno chega à escola e encontra um piso novo, instalações elétricas funcionando perfeitamente e banheiros em boas condições, isso acaba influenciando até na questão da auto estima dos estudantes e dos professores”, avalia Marco.
*Com informações da Secretaria de Educação do DF
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...