Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Filha denuncia que encontrou larvas em pai idoso internado no Hospital Regional de Ceilândia


Familiares de um paciente que estava internado em estado grave no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) denunciaram ao Diário de Ceilândia que retiraram larvas do nariz de Adenor José Viana, 86 anos. O idoso, que deu entrada na unidade em 29 de setembro, acabou morrendo no final da manhã desta sexta-feira (4/11).
De acordo com a filha do idoso, Arlete Lopes Christiano, o agricultor, que morava em Santo Antônio do Descoberto (GO), Região do Entorno do DF, sofreu uma queda em sua chácara e fraturou o fêmur. Adenor chegou a ser levado pela família para o Hospital Regional de Brazlândia, mas acabou transferido para o HRC em seguida. “Durante uma semana, meu pai ficou encostado no pronto-socorro pois não havia leito para ele”, contou.
Arlete, que é auxiliar de enfermagem aposentada, explicou que o pai acabou peregrinando por áreas como a clínica médica e a ortopedia, enquanto seu quadro clínico se agravava. “Ele chegou no hospital com fratura no fêmur, mas semanas depois já apresentava sintomas de pneumonia, água nos pulmões e, por fim, os rins pararam de funciona”, afirmou.
A aposentada ainda afirmou que tinha apenas um médico atendendo seis pacientes internados tanto na Semi-UTI quanto nas chamadas UTI Vermelha, onde ficam pacientes em estado mais grave. “Pior que isso. Tinham 16 pessoas jogadas nos corredores quando entrei hoje. Os profissionais do hospital trabalham da forma mais precária possível. Meu pai entrou com o fêmur quebrado e vai sair morto desse hospital”, desabafou.
Segundo a filha do agricultor, depois de muita insistência e procurar a Defensoria Pública para conseguir um leito para o pai, Adenor acabou internado na unidade semi intensiva do hospital. Na manhã desta sexta, o quadro clínico se agravou ainda mais. “Quando cheguei no hospital, estava muito preocupada e fui logo vê-lo e entrei em pânico quando percebi que havia larvas vivas dentro das narinas dele. Precisei fazer um escândalo para que ele fosse socorrido”, contou a aposentada.
Arlete relatou que usou uma seringa do próprio hospital para armazenar as larvas que foi tirando do nariz do idoso. “Quanto mais puxávamos, mais bichos saiam. Ao mesmo tempo, tinham várias moscas voando pelo ambiente da Semi-UTI”, disse.
*Com informações do Portal Metrópoles