Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Vice-governador cancela reunião com alunos que ocupam regional de ensino de Ceilândia


O vice-governador Renato Santana, cancelou uma reunião com estudantes que ocuparam a Regional de Ensino de Ceilândia na última quarta-feira (9). A reunião havia sido agendada para a tarde desta quinta-feira (10), inclusive com a participação do secretário de Educação. Procurada, a vice-governadoria não retornou nossos contatos.

Os estudantes que ocupam a regional de ensino exigem, principalmente, o início das obras de reforma do Centro de Ensino Médio 10 de Ceilândia, que deveria acontecer há mais de um ano. O CEM 10 se localiza no Setor P Sul, mas em razão das instalações da escola não permitirem atividades, eles foram deslocados para o Setor de Indústria de Ceilândia, próximo ao Setor P Norte e BR 70, distante, portanto do P Sul. Ontem (11), os ocupantes impediram a entrada dos funcionários da Regional. 

Escola aguarda reforma há mais de um ano

Há mais de um ano, cerca de 850 alunos do Centro de Ensino Médio 10 de Ceilândia, tem aulas em outra escola, por falta de estrutura no prédio. A escola fica localizada no setor P Sul, em Ceilândia. O estabelecimento público de ensino foi fechado a mais de um ano, após ser detectado rachaduras em sua estrutura física. Para o alunos o entendimento é de que o Governo de Brasília, por meio da Secretaria de Educação, tem fechado os olhos para a situação da escola.

Os alunos informaram que no início do ano de 2016, o Coordenador da Regional de Ensino da cidade, senhor Marco Antônio, prometeu que iniciaria os reparos na estrutura do CEM 10 e até agora as promessas não foram cumpridas e hoje contam somente com estrutura em péssimas condições que se estende, também, ao local provisório onde estudam.

Segundo a coordenação do movimento dos alunos do CEM 10, após fazerem cálculos, chegaram à conclusão de já perderam cerca de trinta e três dias do ano letivo, isso sem levar em conta os dias em que tiveram que saírem mais cedo por outros motivos.

"Se levarmos em comparação com a situação do ano letivo de outras escolas, nos encontramos atrasados em relação a conteúdos, mais de um mês. E agora, que estamos em pleno 4° bimestre, véspera de Enem e PAS não podemos contar com o transporte escolar, pois o GDF não faz o repasse da verba às empresas há meses", afirmou um dos coordenadores do movimento.  

Para os organizadores do movimento estudantil do CEM 10, é necessário mostrar a indignação com a situação, pois através de manifestação em frente à escola ou por outras maneiras, pois, tudo isso afeta diretamente a vida de todos os estudantes face a falta definição de uma solução para o que vivenciam diariamente.