Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 21 de janeiro de 2017

2017: Ceilândia perde em sua estreia



O Ceilândia começou a temporada 2017 com uma derrota. Jogando na tarde deste sábado, em Anápolis, o Gato Preto foi derrotado pelo Anápolis por 1 x 0.

Foi uma partida truncada. As duas equipes tiveram muita dificuldade em jogar, particularmente em face das condições de um gramado pesado.

O Anápolis, contudo, fez um primeiro tempo melhor que o Ceilândia. Adiantando a marcação, o time goiano impediu que o Ceilândia jogasse. O alvinegro não conseguia trocar três passes seguidos e apelava seguidamente para a ligação direta.

O meio de campo do Anápolis controlou o meio de campo do Ceilândia no início do jogo, mas o ataque do time Goiano nada conseguia com a defesa alvinegra. Faltava o último passe para o time Goiano. Os goleiros, com exceção de dois lances em bola parada, um para cada time, não trabalharam.

Veio o segundo tempo e o Ceilândia pareceu sonolento. Esse sono permitiu ao Anápolis conseguir dois escanteios seguidos. Uma bola parada decidiu o jogo. Logo no primeiro minuto, na cobrança de escanteio, o zagueiro Igor desviou e abriu o marcador.

Depois do gol, o Anápolis recuou um pouco ou o Ceilândia o empurrou para seu campo. O panorama do jogo, contudo, não mudou: as defesas levavam sempre vantagem sobre os ataques. Pode-se dizer, sem muita convicção, que o Ceilândia até chegou mais que o Anápolis no segundo tempo. Chance clara de gol, contudo, não apareceu.

O resultado é o que menos importa nesse momento. O Ceilândia mostrou o mesmo padrão defensivo de sempre, mas sentiu muita dificuldade diante de um time forte fisicamente e com uma marcação forte como o Anápolis. A dificuldade que o Ceilândia encontrou para envolver (e jamais conseguiu) o Anápolis de algum modo preocupa.

Adelson mudou quase todo o time no jogo de hoje. Ainda faz experiências. No próximo domingo será para valer: o Ceilândia fará a primeira partida oficial diante do Sete de Dourados, Mato Grosso do Sul, pela Copa Verde. Há muito trabalho por fazer, mas se reconhece que há algo nesse time que nos leva a acreditar em um bom 2017.

*Informações CEC