Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Deputados se reúnem nesta segunda para discutir aumento de passagens


A Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal se reúne nesta segunda-feira (2), às 10h, para discutir um posicionamento da Casa em relação ao aumento das passagens de ônibus, autorizado pelo governador Rodrigo Rollemberg no último dia 30/12. O reajuste das tarifas em 25% deu o tom na sessão de posse da nova Mesa Diretora realizada na manhã de domingo (1).

Durante a posse, vários deputados se manifestaram contra o reajuste e apelaram ao governador para cancelar a medida. O presidente da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), chegou a afirmar que caso o governador não volte atrás, o Legislativo poderá tomar medidas para cancelar o aumento.

Uma das possibilidades que a Mesa Diretora deve analisar é a votação de um projeto de decreto legislativo sustando o ato do governador que autorizou o reajuste. Neste caso, a Câmara deverá ser autoconvocada para apreciar o projeto, já que está em recesso até 31 de janeiro. Não há nenhum custo extra no caso de autoconvocação da Câmara.

Apesar da forte pressão, governo mantém reajuste de passagens

Mesmo diante da forte pressão política e da opinião pública, o Governo do Distrito Federal (GDF) garante que não vai recuar da decisão de aumentar a tarifa do transporte coletivo da capital a partir desta segunda-feira (2/1). Pelo menos por enquanto. Mas o Executivo está bastante preocupado com a repercussão negativa do caso, inclusive na Câmara Legislativa. Tanto é que o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) vai interromper suas férias e volta a Brasília nesta segunda.

Rollemberg viajou a Aracaju (SE) e pretendia retornar à capital no dia 9 de janeiro, mas mudou de planos depois da enxurrada de críticas da Câmara Legislativa neste domingo (1º/1), durante a posse da nova Mesa Diretora da Casa. Até mesmo o vice-governador do DF, Renato Santana (PSD), foi duro e disse que “gestor que sugere aumento deve ser demitido”. “Não sei se vou conseguir andar de ônibus amanhã (segunda)”, ironizou.

O secretário de Mobilidade, Fábio Damasceno, reconhece que o embate não será fácil, inclusive na Justiça. Mas garante que o governo está preparado para participar das discussões e apresentar seus argumentos. “Não é a melhor decisão, a que o governador queria, mas é uma decisão de austeridade necessária para manter o estado saudável. Não adianta ter passagem mais barata e um Estado quebrado”, ressaltou.


*Com Informações do Metrópoles e CLDF