Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Farmacêuticos farão ação social em Ceilândia


Nesta quinta-feira (19/01), das 9h às 13h, em frente ao Restaurante Comunitário, ao lado da Feira Central de Ceilândia ((QNM 1- centro), o Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF/DF) montará uma tenda com serviços de orientação farmacêutica para o público em geral, que por ali passar, em especial  idosos e pessoas com doenças crônicas, e crianças, em relação a orientações contra o Aedes Aegypti. A iniciativa também conta com o apoio da ACREF e da Drogaria Messias. 

"Serão oferecidos, aferição de glicemia (cerca de 3 mil kits), de pressão, orientações quanto ao uso correto de medicamentos, distribuição de material informacional, enfim, tudo dentro das atividades previstas pelo Conselho para comemorar o dia do Farmacêutico que será na sexta-feira, 20 de janeiro", afirma a presidente de CRF/DF, Gilcilene Chaer, que também lançará no próximo dia 30, o Selo de Assistência Farmacêutica (SAF).

“Para a população, a presença do Selo representa uma forma prática de conferir se o estabelecimento é seguro, garantindo que ali há, efetivamente, assistência farmacêutica e que, dentre outros quesitos, conta com a obrigatória presença de um responsável técnico de nível superior durante todo o horário de funcionamento", pontua a presidente do CRF/DF.

Chaer também informa que o DF é uma das Unidades da Federação com melhores condições de trabalho do país e que há cerca de 6,9 mil farmacêuticos no DF. "O farmacêutico é o profissional de saúde mais próximo do paciente. Essa proximidade é fruto de uma interação de confiança em que o profissional capacitado orienta sobre os transtornos menores, mas também os problemas complexos; conscientiza quanto ao uso correto de medicamentos e analisa as prescrições médicas, a fim de identificar possíveis interações medicamentosas. Ou seja, ao contrário do que vem à mente quando se pensa na profissão do farmacêutico – o profissional por trás do balcão –, ele foi preparado para conhecer a manipulação das substâncias, suas composições, prejuízos e benefícios da administração, a ponto de classificar um tratamento como adequado ou inadequado. Com toda essa responsabilidade, o farmacêutico deve ser ético e ter muito senso de responsabilidade", diz. 

Desafios

O roubo a farmácias ainda continua sendo um dos maiores desafios. "Já protocolamos pedido de reunião junto a secretaria de Segurança Pública, e esperamos que as autoridades possam ajudar os farmacêuticos de drogarias a terem mais tranquilidade no desempenho de suas funções", explica.