Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 27 de março de 2017

Projeto da PMDF oferece escolinha de futebol e artesanato à comunidade de Ceilândia


Cerca de 300 crianças e adolescentes, entre 7 e 16 anos, participam do projeto “Bom de Bola, Bom na Escola” desenvolvido por policiais do 10º Batalhão da Polícia Militar, em Ceilândia. No quartel também funciona uma oficina de artesanato para 35 mulheres que foram vítimas de violência doméstica. Tudo isso é oferecido pela instituição como parte das ações de policiamento comunitário, que tem como proposta a aproximação entre os policiais e a comunidade local.

O "Bom de Bola, Bom na Escola" funciona desde 1999. As aulas são realizadas em três núcleos e não há limite de vagas, já que elas são ofertadas de acordo com a procura. Para participar dos treinos é indispensável frequentar a escola, sendo que o desempenho é avaliado periodicamente pelos professores do projeto. O objetivo principal é ocupar os jovens com a atividade esportiva e, indiretamente, fazer com que eles não se envolvam com o crime e com as drogas.

Para o sargento Leonel Pereira, coordenador do projeto, um momento que marcou a expansão do projeto foi quando ele foi levado para o campo society sintético que fica na QNO. “A praça onde fica o campo era bastante frequentada por usuários e traficantes de drogas. Nossa presença mudou aquela realidade mostrando que nosso objetivo tem sido alcançado”, destacou o policial. 

Pablo Confortine, que é soldado da PM há dois anos, é um dos exemplos de que o Bom de Bola dá certo. Quando adolescente, Pablo costumava jogar bola nas quadras do batalhão. “Aquela foi uma experiência bastante positiva. Eu praticava esporte e ao mesmo tempo observava a rotina dos policiais no quartel. Essa foi minha inspiração”, relembrou o ex-aluno do projeto. 

Serviço
As aulas ocorrem na quadra poliesportiva do 10º batalhão, localizado na QES Área Especial 7/8 e 9 – Setor de Indústrias, em Ceilândia Norte, todas as segundas, quartas e sextas-feiras pela manhã, de 8h30 às 11h30, e a tarde, de 15 às 18h. Os mesmos dias e horários se aplicam para as aulas oferecidas no campo society que tem gramado sintético na QNO 16/17. Já o terceiro núcleo funciona na Feira do Produtor. Os treinos são feitos em um campo com gramado natural, nas terças e quintas-feiras. Pela manhã, o horário vai de 8h30 às 11h30 e a tarde, de 15h às 18h.

Mulheres empreendedoras 
Se por um lado existe a ação voltada a juventude, do outro há o trabalho do núcleo “Mulheres Empreendedoras”. Trata-se de um grupo de 35 mulheres, com idades entre 40 e 75 anos, que já sofreram violência doméstica. Elas fazem artesanato como uma atividade complementar oferecida pelo Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid), da PMDF. Em dois anos de existência, o grupo já produziu vários produtos como tapetes, garrafas decoradas, velas aromáticas, cachecóis e travesseiros.

Além de complementar a renda, elas se ajudam e compartilham conhecimentos durante as tardes, explica a coordenadora da iniciativa, sargento Roseana Gomes. “Esse trabalho que elas realizam é uma forma de evitar a ociosidade, trocar experiências e ainda receber orientações da nossa equipe”, completa. 

Os dois projetos são mantidos com doações da própria comunidade. Quem quiser contribuir pode ligar para o número 61 98412-5413.