Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Sem negociação com GDF, policiais civis fazem assembleia na terça (22) com indicativo de greve



Ocorreu na manhã desta quinta-feira (17) uma reunião entre representantes do Governo do Distrito Federal e do Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol-DF) sobre a recomposição salarial dos policiais civis do DF. Na ocasião, o GDF afirmou que não fará propostas à categoria para 2017, nem para 2018. Diante da falta de negociação, o Sinpol-DF informou que será mantida a Assembleia Geral Extraordinária marcada para terça-feira (22), às 14h, na Praça do Buriti, com indicativo de greve.

“Estamos há oito anos sem reajustes salariais. Todo o funcionalismo foi reestruturado nos últimos anos. Apesar de já ter se posicionado a favor do pleito, na prática, o governo atual tem demonstrado grande desrespeito pela categoria mantendo as negociações paralisadas, e, a cada dia, agravando ainda mais a defasagem salarial dos policiais civis”, explica Rodrigo Franco Gaúcho, presidente do Sinpol-DF.

“A própria PCDF reconhece essa defasagem e incluiu a recuperação das perdas na previsão orçamentária de 2018. Ela sabe que os policiais estão endividados e desmotivados. Recuperar essas perdas é investir na segurança pública do DF", afirmou Gaúcho.

Estiveram na reunião os secretários Sergio Sampaio (Casa Civil), Leany Lemos (Planejamento) e Wilson de Paula (Fazenda), além dos deputados distritais Wellington Luis e Claudio Abrantes e o deputado federal Roney Nemer. O deputado distrital Wasny de Roure mandou representante.

Sinpol-DF – O Sindicato dos Policiais Civis do Distrito Federal (Sinpol-DF) foi criado em 19 de dezembro de 1988 e, ao longo dessas quase três décadas, firmou-se como a entidade representativa da carreira que integra a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). Conforme estabelecido no Estatuto Social, o Sinpol-DF atua na coordenação, defesa e representação legal dos agentes de polícia, escrivães, agentes policiais de custódia, peritos criminais, peritos médicos legistas e papiloscopistas policiais.