Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Especialistas no Atendimento Socioeducativo fazem palestra em escola de Ceilândia



As escolas públicas de São Sebastião e Guará receberam os especialistas durante o mês de outubro e Ceilândia já havia recebido a visita dos especialistas no dia 15.09.17 no qual palestraram aos alunos do 6º ao 9º ano no Colégio Instituto de Educação Fênix.

Desta vez, a Região de Ceilândia é novamente visitada e a escola será o Centro de Ensino Médio 09 que receberão o Promotor de Justiça de Defesa da Infância e Juventude Renato Varalda e os Especialistas em gestão e políticas em Segurança Pública, Serviços Penais e Atendimento Socioeducativo o Sr. Valdigne Baia e o Sr. Roges Ribeiro no dia 17 de novembro.

O promotor Renato Varalda palestrará para cerca de 100 estudantes e explicará a importância de ser honesto nas atitudes do dia a dia.

O Projeto "O que você tem a ver com a corrupção?" é voltado à formação do ser humano com vistas ao exercício da cidadania plena, tendo a área da Educação como instrumento difusor e o princípio da ética o seu elemento norteador.

Os especialistas Valdigne Baia e Roges Ribeiro, visando a prevenção e a violência nas escolas, discorrerão sobre o envolvimento do jovem em práticas de atos infracionais e as suas consequências lesivas em razão da conduta (crime), atos de indisciplina escolar, drogas e seus malefícios, a importância da leitura, direitos e deveres dos pequenos cidadãos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.

O especialista Valdigne Baia defende a aplicação da lei 11.525/2007 efetivamente em todas as escolas do DF: “A introdução do ECA como matéria obrigatória a ser inserida nos currículos escolares atenta para a proteção da pessoa em desenvolvimento e para a prevenção de ato infracional praticado pela criança e adolescente. Busca-se que o infante, ao conhecer melhor os desígnos jurídicos ofertados pelo ECA tome ciência do presente ordenamento legal e deixe de praticar o ato infracional. Um dos caminhos é o de estabelecer, para esses pequenos cidadãos, programas como Oficinas de Trabalhos Manuais e Intelectuais, Grupo de Discussões, Trabalho com as Famílias entre alternativas que visam a ampará-los e estabelecer a prevenção primária no que tange a violência principalmente praticado contra os professores”.

“Nós queremos trabalhar a prevenção por meio do aconselhamento. Explicar ao adolescente e sua família as consequências dos atos infracionais e o que isso reflete. Esperamos, sobretudo, mudança de comportamento partindo de uma reflexão. Faremos  essas palestras para que haja reflexão e mudança, com o intuito de diminuir esses números altíssimos de violência nas escolas e conscientizá-los que podem ser responsabilizados, dependendo da gravidade do ato infracional, e receberem restrição de liberdade, ou seja, medida aplicada pela Vara da Infãncia e Juventude ”, explicou o Especialista Roges Ribeiro.

As escolas serão o importante ambiente de execução, de modo a envolver estudantes, professores, responsáveis e comunidade. Com a presente proposta, pretende-se propiciar, no ambiente escolar, momentos de reflexão sobre a cultura da corrupção e da violência que afeta a vida contemporânea da sociedade e a necessidade de superá-la.

Nesta oportunidade, os alunos farão uma produção textual sob a supervisão dos professores ou trabalhos em grupo sobre os temas abordados na palestra como forma de incentivar os alunos a usarem seu senso crítico na produção textual e no protagonismo juvenil.