Centro de Ceilândia pode ser revitalizado por operação urbana consorciada


O centro de Ceilândia deverá ser a primeira área revitalizada por meio de processo de operações urbanas consorciadas no DF; ou seja, por meio de intervenções coordenadas pelo poder público com a participação de moradores, proprietários e empresários locais, com o objetivo de promover transformações urbanísticas estruturais. A proposta começou a ser discutida na tarde desta segunda-feira (16), em audiência pública promovida pela Comissão de Assuntos Fundiários (CAF), no auditório da Câmara Legislativa.
O debate foi mediado pela presidente do colegiado, deputada Telma Rufino (PPL). Em mensagem, o deputado Robério Negreiros (PMDB) – também da CAF – citou como exemplos bem-sucedidos de operações urbanas consorciadas o Porto Maravilha, no Rio de Janeiro (RJ), e a Linha Verde, em Curitiba (PR).
Para o chefe de gabinete do governador, Rômulo Neves, "esse modelo, ainda inédito no DF, é uma solução complexa". Ele considerou que a audiência pública pode ser o primeiro passo do processo, sendo necessário estabelecer um diálogo entre o GDF e as forças locais. O secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, defendeu também ser preciso discutir o modelo com a Secretaria de Fazenda. Ele sugeriu, ainda, um estudo de viabilidade técnica e econômica no local antes de iniciar a operação.

Já o diretor da Terracap, Douglas Capela, disse ser fundamental a mudança de paradigmas no DF. "Testemunhei a revitalização do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro, uma área antes totalmente degradada", afirmou em elogio às operações urbanas consorciadas. Capela frisou que o modelo só foi possível no Rio "graças ao acordo entre todos os atores envolvidos". E acrescentou: "Daqui a dez anos, vamos nos orgulhar desse pontapé inicial que começa por Ceilândia".
Requalificação – Moradora de Ceilândia há 40 anos, a deputada Luzia de Paula (PEN) defendeu a "junção de esforços" para a revitalização do centro da cidade. Ela lembrou que Ceilândia vai completar 44 anos e, finalmente, pode vislumbrar um "centro digno".
"Conheço Ceilândia como a palma da minha mão", afirmou o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT), que apoia mudanças estruturais na cidade. Ele disse não existir ação efetiva do poder público na localidade, que cresceu desordenadamente e é alvo de invasões de terras públicas até hoje.
A presidente da Agência Fiscalizadora (Agefis), Bruna Pinheiro, considera a proposta das operações urbanas "inteligente, porque vai regularizar as áreas que já estão ocupadas e não vai permitir novas invasões de áreas públicas". Ela propôs uma "trégua formal" na fiscalização das áreas públicas consolidadas até a conclusão do processo.
Segundo o presidente da Associação Comercial e Industrial de Ceilândia, Messias Vasconcelos, a revitalização do centro da cidade é mais do que necessária. A cidade responde por 25% da arrecadação do ICMS do DF, segundo Vasconcelos, para quem Ceilândia oferece muito ao DF e recebe pouco de volta.
Ao final da audiência, a deputada Telma Rufino criou um grupo de trabalho para tratar da proposta de requalificação de Ceilândia. A equipe deve se reunir em 45 dias para dar andamento ao processo.
CLDF
Centro de Ceilândia pode ser revitalizado por operação urbana consorciada Centro de Ceilândia pode ser revitalizado por operação urbana consorciada Reviewed by Diário de Ceilândia on terça-feira, março 17, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário

Slider

[recent]

Anuncios!

Diário de Ceilândia © Copyright 2010-2018. Tecnologia do Blogger.