Grêmios estudantis de Ceilândia ganham voz em audiência pública da CLDF


Mais recursos, mais cultura e mais representatividade. Essas foram algumas das reivindicações dos estudantes que participaram da audiência pública sobre a importância do trabalho dos grêmios estudantis, na manhã desta terça-feira (18), no plenário da Casa. De iniciativa do deputado Israel Batista (PV), o evento contou com a presença de grupos de representantes dos grêmios estudantis de escolas públicas e privadas do Distrito Federal.  

A audiência pública foi aberta pelo deputado Israel Batista rememorando sua época de estudante na Universidade de Brasília (UnB) no ano 2000, quando esteve à frente dos movimentos estudantis. "Naquela época a UnB ainda era muito elitizada, mas conseguimos nos juntar para debater questões práticas, como almoço a 50 centavos, a iluminação e a entrada de ônibus no campus". E completou dizendo, "o espírito dos grêmios estudantis é o envolver de todos nos problemas coletivos, a solidariedade".
O presidente do grêmio estudantil do Centro de Ensino Médio 12 de Ceilândia (CEM 12), Francisco Olavo, e o vice-presidente da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas de Brasília (UMESB), Thiago Ferreira Dias, foram enfáticos quanto aos problemas estruturais dos grêmios estudantis, como a falta de recursos para promover os eventos de interesse dos estudantes.
A estudante Julia Ferreira (CED 12) salientou a necessidade de mais cultura e política dentro das escolas. "A cultura é muito importante e a política em si é bonita, mas precisamos de mais, e precisamos de políticas que deem mais voz aos alunos nas escolas". Para Adrielle Galdino, diretora de imprensa do grêmio estudantil do Elefante Branco, "quando há o interesse dos grêmios, automaticamente há um crescimento político dos alunos", declara.
Cidadania - Durante a audiência pública, alguns distritais discursaram enfatizando a relevância dos movimentos estudantis para a formação de cidadãos. O deputado Reginaldo Veras (PDT), cumprimentou os estudantes presentes e lamentou, juntamente com o deputado Israel Batista, o projeto de lei em tramitação na Casa que proíbe a expressão política nas escolas. "Precisamos barrar a Escola Sem Partido. Se ela passar, os grêmios estudantis vão acabar, não haverá liberdade para debates políticos", declarou Veras.
O deputado distrital Wasny de Roure (PT) destacou em sua fala que "a política será pior quanto mais distante ela for para nós", declara o distrital. Já o deputado Chico Leite (PT) propôs a criação de uma Comissão Especial da Juventude que contou com a concordância de Israel Batista. Os parlamentares Rodrigo Delmasso (PTN), Júlio Cesar (PRB) e o deputado federal Rôney Nemer (PMDB/DF) também expressaram apoio aos grêmios estudantis.
O assessor de comunicação da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal, Patrick Selvatti, saudou o trabalho dos grêmios estudantis relembrando a iniciativa de 10 estudantes que procuraram a Secretaria de Educação atrás de explicações e providências para a greve dos professores no início deste ano. Já a subsecretária de juventude da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal, Aline Bezerra, destacou o papel dos grêmios estudantis e relembrou dos eventos programados para o mês da juventude, e a secretária de Estado de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, Jane Klébia Reis, em uma fala emocionada, parabenizou os estudantes e ressaltou que "os movimentos estudantis produzem grandes líderes".
Ascom CLDF
Grêmios estudantis de Ceilândia ganham voz em audiência pública da CLDF Grêmios estudantis de Ceilândia ganham voz em audiência pública da CLDF Reviewed by Diário de Ceilândia on quarta-feira, agosto 19, 2015 Rating: 5

Nenhum comentário

Slider

[recent]

Anuncios!

Diário de Ceilândia © Copyright 2010-2018. Tecnologia do Blogger.