Sem equipe, médicos da UPA de Ceilândia ameaçam parar atividades



[Por Metrópoles] A situação caótica da saúde pública no Distrito Federal continua a dificultar as atividades de profissionais e o atendimento de pacientes. Desta vez, o problema é na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Ceilândia. O Conselho Regional de Medicina do DF (CRM-DF) emitiu um indicativo de interdição ética na unidade de saúde, devido à falta de profissionais.
O indicativo de interdição é fruto de uma vistoria realizada pela entidade na UPA, que aponta situações irregulares no local. Na prática, o documento estabelece um prazo de 30 dias para que os problemas sejam sanados. Caso não sejam tomadas providências, o conselho orienta os médicos a paralisarem as atividades.
De acordo com o CRM-DF, apenas no último ano, 19 médicos deixaram de atender na UPA de Ceilândia, por motivos como aposentadoria, demissão ou transferência. Por conta disso, o quadro atual de clínicos na unidade é de apenas 17 profissionais. Segundo a entidade, a situação dificulta o atendimento e torna impossível a organização de plantões.
Acionada pelo Metrópoles, a Secretaria de Saúde do DF afirmou que “ainda não foi notificada e, por isso, desconhece o conteúdo do Termo de Notificação. A Secretaria de Saúde irá examiná-lo, assim que recebê-lo”, diz em nota.
*Pedro Alves do Metrópoles
Sem equipe, médicos da UPA de Ceilândia ameaçam parar atividades Sem equipe, médicos da UPA de Ceilândia ameaçam parar atividades Reviewed by Diário de Ceilândia on sábado, maio 13, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Slider

[recent]

Anuncios!

Diário de Ceilândia © Copyright 2010-2018. Tecnologia do Blogger.