Sinpol contesta dados de criminalidade divulgados pelo GDF



[Jornal de Brasília] Dados divulgados pelo Governo do Distrito Federal chamaram a atenção para a queda dos índices de criminalidade no DF. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social, ao longo do fim de semana, não houve nenhum caso de latrocínio, homicídio e lesão corporal seguida de morte, fato que não ocorre desde 2007, segundo a pasta. O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), no entanto, diz que o GDF maquiou as informações.
O Sindicato afirma que, no mesmo período, foram registradas nove ocorrências de tentativas de homicídio, três tentativas de latrocínio e três estupros consumados, além de uma tentativa de estupro. “Portando, segundo os números, houve uma média de quatro atentados contra a vida por dia nas ruas da capital federal”, pontuou o Sinpol.
Ainda segundo a entidade, os casos de estupros foram registrados no Recanto das Emas, Samambaia, Ceilândia e Lago Sul. As vítimas foram mulheres com idades entre 21 anos e 61 anos. Já os nove casos de tentativa de homicídio envolveram 15 vítimas, todos homens. Em sete situações foram utilizadas armas de fogo. Nas outras duas, o meio empregado foi faca.
“O Governo de Brasília tenta passar uma imagem de que a violência não existe ou diminuiu, o que não é verdade. A população precisa saber a real situação da criminalidade. Não concordamos com a manipulação da informação. Maquiar os dados faz com que o Governo deixe de investir recursos em segurança pública. E nada disso podemos admitir”, concluiu o Sindicato.
A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social reforçou que divulga os dados relativos a ocorrências com transparência e integralmente baseados nos registros feitos nas Delegacias de Polícia.
Sinpol contesta dados de criminalidade divulgados pelo GDF Sinpol contesta dados de criminalidade divulgados pelo GDF Reviewed by Diário de Ceilândia on quinta-feira, julho 20, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Slider

[recent]

Anuncios!

Diário de Ceilândia © Copyright 2018 - Todos os direitos reservados - diariodeceilandia@gmail.com