Tiros na Ceilândia. Silêncio na Tribuna



Esta semana tivemos dois casos graves de tiroteios na cidade de Ceilândia. Talvez tiroteio não seja a palavra que melhor expresse o que houve: os disparos foram em uma só direção, típico caso de tentativa de homicídio.
Não obstante o governo sempre dizer que, em sua maioria, estes crimes são típicos casos de acertos de contas entre bandidos, o fato é que dois carros foram alvejados com diversos disparos de armas de fogo dentro da cidade mais populosa do Distrito Federal e dez pessoas, incluindo crianças, ficaram feridas, algumas delas em estado grave.
Até poderíamos dizer que foram casos isolados: longe disso, infelizmente. Em outras cidades satélites, casos semelhantes vem acontecendo aos montes. Basta recuperarmos os dados jornalísticos e ficará claro o que estamos apontando.
No meio deste caos que muita gente, principalmente no Governo, insiste em afirmar como sendo normal, chama atenção o fato de nenhum parlamentar do DF sequer ter feito uma nota acerca da gravidade dos fatos.
Além das atribuições próprias do mandato parlamentar, cabe à autoridade legislativa o uso de sua voz em defesa da comunidade. Daí vem a tão falada e mal compreendida Imunidade Parlamentar. Ela existe para que a autoridade possa, pela voz, por carta, artigo, manifesto ou o qualquer outro meio que queira, se pronunciar, perguntar, se indignar, exigir respostas e soluções de quem quer que seja acerca dos problemas que afligem a sociedade.
A coisa mais importante que nos faz diferentes dos demais animais criados por Deus é a comunicação. A fala, o discurso, o “verbo”. Poder-se-ia argumentar que estamos em recesso e que sem a tribuna o parlamentar não tem o local propício para falar. Mas isso não se justifica. Sabemos que, como autoridades públicas, é comum que consigam a atenção de vários meios de comunicação.
Será que foi o fato de ter acontecido na Ceilândia, longe dos olhos mais atentos das classes mais altas ou de fato se tratou de mera desconexão com a realidade de quem votou neles?
Não é de hoje, nossos partidos e políticos perderam a conexão com o eleitorado. Talvez seja apenas isso, um distanciamento entre o povo e seus eleitos. Muito triste, pois vai acontecer de novo, mais gente vai sofrer, e ninguém vai se pronunciar.

Coronel JEAN - @CoronelJean190 - Tudo Ok Notícias
Tiros na Ceilândia. Silêncio na Tribuna Tiros na Ceilândia. Silêncio na Tribuna Reviewed by Diário de Ceilândia on quinta-feira, janeiro 18, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Slider

[recent]

Anuncios!

Diário de Ceilândia © Copyright 2010-2018. Tecnologia do Blogger.