Brasiliense representa o Brasil em evento global de liderança feminina

Brasiliense representa o Brasil em evento global de liderança feminina

O G(irls)20 Summit é um evento que dura uma semana inteira e nele jovens mulheres do mundo todo recebem treinamento em liderança, empreendedorismo social e mentoria de outras líderes mulheres do setor público e de negócios. O programa é um modelo como o G20, no qual representantes de países debatem temas e políticas necessárias para o aprimoramento do mundo, só que somente com jovens meninas. As selecionadas para o evento de liderança para mulheres participam como delegadas e contribuem debatendo e pensando políticas econômicas, sociais relacionadas a questões que meninas e mulheres enfrentam nos seus países de origem. 

Lançado em 2009 na Clinton Global Initiative, o G(irls) 20 coloca mulheres jovens no centro da processos de tomada de decisão. 9ª Cúpula Global G(irls)20  iniciou no dia 13 de outubro, com mais de 20 jovens de todo o mundo chegando a Buenos Aires para uma semana de treinamento de liderança, desenvolvimento de empreendimentos sociais e orientação de líderes os setores empresarial e público. Os delegados contribuíram com as questões econômicas e sociais que meninas e mulheres em seus países para um comunicado entregue aos líderes mundiais antes da Cimeira do G20.

A brasileira participa do projeto de extensão “Maria da Penha: atenção e proteção”, que promove assistência jurídica e psicológica para mulheres em situação de violência doméstica em Ceilândia. Além disso, é voluntária no projeto “Escola de App: enfrentando a violência online contra meninas”, que promove discussões entre alunas de ensino médio da rede pública sobre violência contra meninas na internet, como preveni-la e o que fazer caso se torne vítima, além da realização de oficinas para o desenvolvimento de aplicativos para telefone, para que essas garotas sejam empoderadas digitalmente.

Em parceria com mais de 50 organizações internacionalmente reconhecidas, os candidatos inscritos são procurados e selecionados com base em suas respostas a perguntas que enfocam liderança, habilidades analíticas e capacidade de criar soluções inovadoras para os desafios econômicos que o mundo enfrenta. As aplicações são divididas em grupos de acordo com o país e são avaliadas pela comissão de entrevista. Uma lista de cada país é entrevistada por G(irls) 20 CEO, Heather Barnabe, que seleciona o principal candidato para representar cada país ou região na Cimeira. No caso brasileiro, Fernanda Pereira.

Para saber mais sobre o G(irls)20  acesse: http://www.girls20.org

Um mundo de oportunidades para as mulheres pelo mundo


O meu nome é Fernanda, sou estudante de Direito, feminista desde os dezesseis anos de idade e prometi para mim mesma que minha vida seria dedicada às mulheres. E é esse comprometimento o meu norte. Todas as escolhas feitas desde então, como a formação em Direito e projetos de pesquisa e extensão, expressam isso. Ter sido a escolhida para representar o Brasil este ano no G(irls)20 confirmou dentro de mim que é realmente esse sentido que eu quero dar para minha vida, porque estou tendo a oportunidade de potencializar a minha voz e alcançar mais mulheres.

Me reconheci feminista adolescente. Foi o momento perfeito para isso, porque foi justamente a fase em que eu estava formando minha identidade enquanto sujeito e tomando decisões importantes. Na época, a escolha pelo curso de Direito pareceu natural, porque eu sempre achei a relação entre Direito e política íntima e, além disso, a melhor forma de conquistar emancipação para as mulheres é o fazer político.

Ingressar no curso de Direito em uma universidade pública me ofereceu várias oportunidades relacionadas à igualdade de gênero. Atualmente participo do projeto de extensão “Maria da Penha: atenção e proteção”, que promove assistência jurídica e psicológica para mulheres em situação de violência doméstica em Ceilândia-DF. A existência de uma iniciativa como o projeto Maria da Penha é crucial, principalmente porque Ceilândia é a cidade com os maiores índices de feminicídios ocorridos no Distrito Federal este ano.

Além disso, sou voluntária no projeto “Escola de App: enfrentando a violência online contra meninas”, que promove discussões entre alunas de ensino médio da rede pública sobre violência contra meninas na internet, como preveni-la e o que fazer caso se torne vítima.

Também são realizadas oficinas para o desenvolvimento de aplicativos para telefone, para que essas garotas sejam empoderadas digitalmente. É uma iniciativa incrível, porque é crucial que a escola seja um espaço de superação dessas desigualdades.

Somado a todos esses projetos, esse ano também tenho a honra de representar o Brasil no G(irls)20. Me dá frio na barriga participar de algo tão grande, porque sei que as mulheres vivenciam realidades diversas e representar todas essas vozes é desafiador. Mas a iniciativa me ajudou a reconhecer como mulheres de vários lugares do mundo estão comprometidas com a promoção de igualdade. É por meio dessa articulação coletiva que conseguimos potencializar nossa voz individualmente. Por isso, acredito que o maior presente do G(irls)20 é esse: confiança e esperança de um futuro brilhante para meninas e mulheres e a alegria de poder participar desse processo.

*Fernanda Pereira Nunes, delegada brasileira, G(irls)20 Summit 2018
Brasiliense representa o Brasil em evento global de liderança feminina Brasiliense representa o Brasil em evento global de liderança feminina Reviewed by Douglas Protázio on sexta-feira, outubro 26, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Slider

[recent]

Anuncios!

Diário de Ceilândia - O Portal de Notícias de Ceilândia © Copyright 2018 - Todos os direitos reservados