As taxas de turismo são justificáveis?

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Conhecer novas culturas, fazer
novos contatos, provar a culinária local, viver novas experiências. No geral
isto é o que muitas pessoas se deparam ao viajar. Mas junto de todo o
investimento de uma viagem podem surgir algumas surpresas, como por exemplo, a taxa
de turismo. É sobre ela que será possível saber mais neste artigo.
Primeiramente é indicado entender
bem o que é a taxa de turismo. Trata-se de um valor
cobrado pela região (normalmente pela cidade) para que as pessoas possam
permanecer no local por determinado período de tempo. Geralmente as taxas são
diárias e podem variar bastante conforme o país.



No Brasil, Fernando de Noronha é
um exemplo. É preciso pagar 
uma taxa ao desembarcar na ilha.
Embora seja uma taxa ambiental, neste caso também deve ser contabilizada na
hora do turista fazer seu planejamento. Algumas praias da localidade
também exigem pagamento para ter acesso às mesmas. Jericoacoara, no Ceará;
Ubatuba, em São Paulo; e Bombinhas, em Santa Catarina são cidades que
também 
cobram taxas no caso da visitação de
turistas.
Em outros destinos ao redor do
mundo a cobrança da taxa de turismo, os valores e isenções podem mudar
completamente. Alguns locais da Europa como Roma, na Itália; as ilhas da
Grécia; e algumas cidades da Suíça, Alemanha e Espanha também cobram taxas de
turismo. Muitas vezes vai depender das localidades que serão visitadas. Por
isso, é sempre indicado pesquisar bastante diretamente nos órgãos oficiais de
cada país. Desta forma evitam-se surpresas desagradáveis no itinerário dos
viajantes.
Manutenção de patrimônios
antigos, preservação ambiental, melhoria da infraestrutura, reformas,
construções. 
Diversos motivos surgem quando o
assunto é o destino dos montantes adquiridos através das taxas de turismo.
Normalmente, para o turista, é difícil comparar ou fiscalizar determinadas
atividades de melhoria, já que o mesmo não está a todo momento na cidade, e sim
de passagem. Mas há de se julgar que algumas taxas têm explicações
convincentes. Afinal, manter as características de toda uma cidade, ou a
preservação de determinada região é bem desafiador.



Do outro lado das justificativas
da cobrança de taxa de turismo aparecem alguns questionamentos e pontos a se
considerar. As cidades não geram um valor suficiente com as compras dos
turistas? O faturamento provocado pelo impacto do turismo não seria o bastante
para manter as cidades e seus pontos de visitação? Seria esta também uma
questão de gestão pública e otimização do uso de recursos? 



Quando o assunto é cobrança
realmente existem diversos pontos para considerar. No entanto, uma fiscalização
mais árdua junto ao poder municipal das cidades turísticas é uma sugestão
bastante pertinente. Cabe aos moradores de determinado local fazerem este
papel. 



Viajar é abrir a mente e o
coração para o mundo. É conhecer, experimentar, viver uma experiência,
descobrir algo novo. Tudo isso pode ser ainda mais bem aproveitado quando o
foco está em se divertir. Planejar uma viagem pode ser desgastante e
desafiador, mas é preciso saber relaxar. Seja em trabalho ou de
férias é possível que este momento fique gravado na memória.

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: