Brasil apresentou redução no número de acidentes de trabalho em 2017

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


[Artigo Patrocinado] Dados levantados pelo Observatório Digital de Saúde e Segurança do
Trabalho do MPT revelaram que agentes químicos, máquinas e equipamentos são os
principais motivadores dos 700 mil acidentes de trabalho que ocorrem por ano em
todo Brasil. Em um período de seis anos – de 2012 a 2017 – foram registrados mais
de 4 milhões de acidentes e, segundo a média, a cada 48 segundos ocorre um
acidente no país. Esses casos resultaram na morte de quase 16 mil pessoas.
Apesar dos dados alarmantes, em 2017, esse número apresentou uma queda.

O Observatório constou que foram registradas 574 mil comunicações
de acidentes de trabalho no último ano. Em 2016, foram 585 mil, cerca de 2,8% a
mais do que o ano seguinte. Apesar da queda, os dados são contestados por quem
vive o dia a dia da Segurança
do Trabalho
. “Muitos casos de acidentes no trabalho não são
divulgados. Se formos analisar com mais cuidado, é possível ver que esses
acidentes são bem comuns”, pondera Emília Fernandes, técnica em Segurança do
Trabalho.

Proporcionar um ambiente de trabalho saudável fisicamente e
mentalmente é um dos desafios dos gestores, mas com o investimento em
profissionais especializados é possível amenizar ainda mais essas estatísticas
e promover a qualidade de vida nas instituições. “Onde existe trabalho, existe
a necessidade de um especialista em Segurança do Trabalho”, defende Fernandes.

Os benefícios da redução do número de acidentes dentro de uma
empresa são muitos. Acidentes de trabalho já geraram um custo de R$ 26 bilhões para
a Previdência, que foram gastos com benefícios acidentários, como
auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, pensão por morte e auxílio-
acidente, concedidos no período de seis anos, sem considerar o estoque de anos
anteriores pagos no mesmo intervalo.

No estado de São Paulo, foi registrado o pagamento de mais de 436
mil auxílios-doença por acidente do trabalho no período. O impacto
previdenciário dos afastamentos da localidade alcançou a marca de R$ 4 bilhões,
com a perda de mais de 70 milhões de dias de trabalho. Porém, o estado também
apresentou dados positivos em relação a diminuição de acidentes de trabalho. Em
2012, foram 616 acidentes de trabalho com morte. Já em 2017, esse número caiu
para 447, uma queda de 27,4%.

Segundo o artigo 19 da Lei nº 8.213/91, que diz respeito aos
acidentes de trabalho, a principal responsabilidade das empresas é oferecer um
ambiente seguro aos seus funcionários. Com o intuito de estar dentro das
normas, algumas empresas oferecem um treinamento admissional apropriado para
cada função que será exercida dentro da instituição. Segundo as leis
trabalhistas brasileiras, não existe um prazo estabelecido sobre quanto tempo
deve durar esse treinamento de funcionários.

A Kubo Engenharia é um exemplo de empresa que se preocupa com a
segurança dos seus colaboradores. Desde sua fundação que a segurança do
trabalho faz parte da rotina da instituição, que está há mais de mil dias sem
registro de ocorrência. “A nossa meta é zero acidente”, assegurou Isabelli
Vieira, gerente de Sistema Integrado de Gestão da Kubo.  Segundo ela, a empresa possui um política de
gestão que se preocupa em cumprir objetivos estabelecidos de segurança,
qualidade e meio ambiente. “Visamos a prevenção da saúde e segurança dos
colaboradores e da sociedade, prevenção dos riscos ambientais e da poluição,
melhoria contínua da empresa, qualidade nos serviços realizados e atendimento a
legislação vigente”, destaca.

A Kubo Engenharia
também tem a preocupação de alertar os seus funcionários sobre os cuidados que
eles precisam ter na hora de executar alguma atividade. “Informamos aos
trabalhadores os meios de prevenção, com treinamentos, diálogos e informativos.
Além disso, fazemos um acompanhamento das atividades realizadas por uma equipe
de profissionais de segurança em cada obra que executamos”, acrescenta Vieira.

Mercado da
Segurança do Trabalho

O profissional de Segurança do Trabalho atua na prevenção de
acidentes e doenças ocupacionais e é uma figura estratégica para todas as
organizações que buscam aumentar a produtividade e garantir a saúde dos seus
trabalhadores. As suas principais funções são investigar, encontrar, analisar e
recomendar medidas que protejam e controle acidentes no ambiente das empresas.
Além disso, criar e executar programas de prevenção que incentivem os
colaboradores sobre os riscos de acidentes. 
Confira
a média salarial de um profissional de Segurança do Trabalho

A profissão vem crescendo regularmente e sendo bastante procurada
por quem gosta de trabalhar com pessoas. O profissional que escolhe essa graduação
tem uma ampla área de atuação. Em geral, trabalha em fábricas de alimentos,
construção civil, hospitais, empresas comerciais e industriais e também pode
atuar na área rural em empresas agroindustriais. O curso também está na lista
dos 10 mais procurados no segmente técnico, isso porque a profissão oferece
boas perspectivas e oportunidades no mercado.

Fonte:
Bárbara Maria – Ascom Educa Mais Brasil

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: