Designers gráficos comemoram hoje o seu dia e mantêm vivo o bom senso-estético

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
A identidade visual de uma instituição faz
toda diferença no que se diz respeito à imagem que se deseja passar ao
consumidor final, ou seja, ao público. E informar através de uma marca,
embalagem ou anúncio é papel do
Design Gráfico, que comemora hoje (05.11), o
seu dia. A data é uma homenagem a um dos nomes mais importante do design
brasileiro, o pernambucano Aloísio Magalhães que nasceu no dia de hoje.

Dentre as várias obras de Aloísio se destacam
a criação da logo da Petrobras, o desenho das notas de Cruzeiro Novo e o
primeiro logotipo da Rede Globo. Magalhães também ajudou a idealizar e a criar
a Escola Superior de Design Industrial (ESDI), instituição ligada a
Universidade do Estado do Riode Janeiro (UERJ), faculdade que é considerada uma das melhores
da área no país.

Regulamentação

A regulamentação da profissão é um dos sonhos
dessa categoria. Por esse motivo, em 2017, foi apresentado em Brasília, o
Projeto de Lei PL 7520/2017 que regulamenta a profissão no Brasil. Fruto de uma
iniciativa do Movimento de Designers do Brasil, a proposta valoriza a formação
acadêmica e a experiência profissional da atividade.

Diante do projeto, o Movimento visa que sejam
considerados
Designers Gráficos aquele que possui diploma de graduação plena e graduação tecnológica
emitido por curso de Design reconhecido pelo Ministério da Educação; que comprove
o exercício da atividade de Design Gráfico por período superior a cinco anos até
a data da publicação da Lei, quem possua diploma de instituições estrangeiras
de ensino superior de design reconhecidas no país e quem tenha exercício da
atividade de Design Gráfico amparado por convênios internacionais de
intercâmbio.

De acordo com o Projeto de Lei, profissionais
que tenham formação nas seguintes áreas também poderão ter a certificação da
profissão:
Comunicação Visual, Desenho Industrial,
Programação Visual, Design Industrial, Design de Embalagem, Design Editorial,
Design Digital, Design de Interação,
Design de Games, Design de Sinalização, Web
Design, entre outras.

Panorama da profissão

Detalhista, pesquisador, criativo, curioso e
técnico. Estes são alguns dos adjetivos que podem descrever um design,
profissional que tem o papel de transformar a criatividade e a imaginação em
peças publicitárias, projetos gráficos e de comunicação visual e, através de
mídias e suportes, têm seus trabalhos inseridos no cotidiano da sociedade.

Para ser um bom atuante do ramo, o
conhecimento técnico é primordial, pois tudo que é pensado, projetado e
desenhado, precisa ter uma forma de realização elaborada. Na avaliação de
Gibson Junior, que trabalha há 20 anos como designer gráfico, o fácil acesso às
ferramentas de trabalho torna mais fácil que pessoas não capacitadas se tornem
concorrentes em um mercado desleal.

“Com esse fácil acesso a ferramentas que
tratam imagens, diagramam livros e fazem logomarcas, todo mundo acha que é
designer. Só que na hora que se faz um refinamento, de quem tem embasamento
teórico e de quem entende de conceito, estudo de marca e história da arte, você
consegue diferenciar, apenas olhando as marcas, quem é designer e quem não é”,
assegurou o profissional, dono de um escritório que leva o seu nome.

A concorrência é um dos principais desafios da
carreira. “Eu acho que o trabalho do designer é mais valorizado hoje do que era
quando eu comecei a atuar no mercado”, compara. O único problema é que o
cliente, muitas vezes, diante de uma grande oferta de mão de obra, decide pelo
aspecto financeiro. Ou seja, contrata quem cobra menos. “Tem clientes que optam
por quem faz o serviço mais barato e essa alta oferta é que acaba
desvalorizando o mercado”, pontuou.

O primeiro curso bacharelado de Design no
Brasil foi oferecido pela Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI). A sua
instauração aconteceu em 1962, tendo como influência o modelo de ensino da
Escola de Ulm, uma famosa instituição alemã. Hoje no Brasil, existem mais de
200 instituições – públicas e privadas – que oferecem o curso de Design. E, de
acordo com o último Censo de Educação Superior, em 2017, foram mais de 20 mil
ingressos nessa graduação.

Caso o seu sonho seja também iniciar uma
graduação de Design, conte com a ajuda do Educa Mais Brasil. O programa
educacional oferta bolsas de estudo de até 70% para centenas de cursos de
ensino superior. Não perca tempo. Acesse o
site do Educa Mais Brasil e confira todas as
oportunidades disponíveis na sua região.

Fonte: Bárbara Maria – Ascom Educa Mais Brasil
*Esse artigo é um publieditorial

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Como ser mais feliz? Universidade de Yale oferece cursos gratuitos sobre o tema

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: