Diferença entre o estágio e o trainee: Conheça as particularidades dos programas e como auxiliam para ingresso no mercado de trabalho

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
[Artigo Patrocinado] Muitas pessoas confundem estágio com
trainee, mas existem muitas diferenças entre os programas. Ambos são voltados
para jovens, mas ambos diferem um do outro. O estágio faz parte dos estudos
ainda na faculdade.
Já o trainee é mais voltado para quem já é formado e inicia sua atuação no
mercado de trabalho. Uma outra diferença está na diferença da renda, os
estagiários recebem menos, enquanto que os trainees passam por treinamento e
triagem, consequentemente, têm currículo mais avantajado de experiências e, com
isso, melhor remuneração.

A administradora Ana Tereza Gomes Mota Oliveira, teve as duas
experiências. Só tem boas recordações e experiências com o estágio. “Coloquei
em prática o que vinha absorvendo teoricamente na universidade, aprendi a me
posicionar, a me articular, organizar meu tempo, planejar, a assumir
responsabilidades e, principalmente, a me conhecer profissionalmente”,
conta. 

Hoje, Ana Tereza é trainee em uma indústria de papéis, onde
atua há 9 meses. A administradora considera que esses primeiros contatos com o
mercado de trabalho, tanto no estágio como trainee, são cruciais para quem
escolhe uma formação mais ampla. “Nesse momento, é possível entender o caminho
que desejamos seguir baseado no nosso perfil individual. O trainee proporciona
um maior desenvolvimento, contato com todos os setores da empresa, oportunidade
para implementação de melhorias estratégicas, além de nos preparar para
retenção com o objetivo de assumir posições estratégicas no futuro”, pontua.

Normalmente, são as grandes empresas
que investem nessa modalidade de trainee. Por isso, há uma grande concorrência
para ocupar estas vagas. A exigência é grande. É preciso ter melhor currículo.
Para quem está buscando um trabalho de trainee, Ana dá algumas dicas. A
primeira delas é buscar uma empresa que você acredite, que possua valores compatíveis
com o seus. Afinal de contas, você vestirá a camisa da empresa por um longo
período.

O segundo passo: organize seu
currículo para que ele esteja claro e mostre realmente qual é seu objetivo,
capacidades, conhecimentos técnicos e habilidades. Por fim: “Dedique-se ao
processo de recrutamento, que é mais complexo e pode durar muitos dias. É
preciso trabalhar em equipe, liderar e mostrar suas habilidades e competências
em entrevistas individuais e dinâmicas em grupo”, sinaliza.

Ana ainda lembra que é importante
lembrar que, mesmo atuando como trainee, ninguém está com a “vida garantida” no
mercado de trabalho. É preciso continuar buscando conhecimento e atualizações
através de cursos
e especializações.

Especializações
com bolsas de estudo

Com o mercado cada vez mais
concorrido é preciso investir em especializações não só para se destacar, mas
para manter-se atualizado e conseguir novos aprendizados. Por pensar nos altos
custos com a educação, muitas pessoas nem cogitam a possibilidade de investir
em especializações. Uma alternativa é buscar programas de incentivo, como o
Educa Mais Brasil que oferta bolsas
de estudo
com descontos de até 70% em modalidades como graduação,
pós-graduação, cursos
técnicos
, Idiomas, cursos profissionalizantes e também para a educação
básica
. Para ter acesso ao benefício é preciso fazer a inscrição e
conferir os cursos e faculdades disponíveis no site parceiro
http://www.educamaisbrasil.com.br/diariodeceilandia. 
Vanessa
Casaes – Ascom Educa Mais Brasil

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Iges-DF já encaminhou 4 médicos para UPA de Ceilândia

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: