Milícia em Ceilândia movimentou R$ 1 milhão. Oficial é investigado, diz jornal

PMs de milícia no DF movimentaram R$ 1 milhão. Oficial é investigado

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Acusados de integrar uma milícia no Distrito Federal, os policiais militares presos na Operação Horus em 29 de maio faturaram cerca de R$ 1 milhão nos últimos quatro anos. O dinheiro, segundo diligências da Polícia Civil do DF e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), veio de crimes – como extorsão, tráfico de drogas, grilagem de terras e homicídios – no Setor Habitacional Sol Nascente, em Ceilândia. A ação da PCDF que desarticulou o grupo revelou a existência de uma banda podre em um dos batalhões responsáveis pelo policiamento na região administrativa, informa o site Metrópoles.

No dia da operação da corporação e do MPDFT, foi revelado que ao menos 12 policiais militares tinham envolvimento com atividades criminosas na área. A lista de suspeitos, contudo, aumentou. Em delação premiada, um dos criminosos afirmou que um major da Polícia Militar (PMDF) também integrava o esquema. É o primeiro oficial a ser vinculado ao caso. Até então, a lista de suspeitos incluía apenas praças, soldados e sargentos.

De acordo com relatos do delator, o major teria influência em órgãos fiscalizadores para retardar ou até evitar derrubadas em regiões que haviam sido invadidas pela organização criminosa. Ele recebia pagamentos em dinheiro como propina pelos serviços prestados. O nome do oficial não foi divulgado, para não atrapalhar outras apurações em curso. Matéria completa do Metrópoles aqui.

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Olimpíada de Língua Portuguesa realizada pelo MEC estimula o interesse pela leitura e escrita

Deixe uma resposta

Posts Relacionados

%d blogueiros gostam disto: