Policial civil de folga impede assalto e prende criminoso em Ceilândia

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Na manhã da última quarta, 18, uma policial civil que estava de folga foi responsável pela prisão de um assaltante em Ceilândia Norte. A papiloscopista Thais Barbosa Alencar interveio em uma tentativa de roubo, interrompendo as sucessivas agressões do criminoso e impedindo que a vítima fosse, então, assaltada.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Era pouco antes de 7h da manhã quando Thais, que estava na casa da mãe, em Ceilândia Norte, ouviu gritos vindo da rua. Ao averiguar a situação e perceber que se tratava de uma tentativa de roubo, a policial civil buscou sua arma e foi de encontro ao criminoso.
Pouco antes, Michael André Araújo, de 21 anos, havia descido de um Palio cinza e começado a agredir o senhor Damião C. C., de 51 anos, que ia para o trabalho e caminhava em direção à estação do metrô. Visivelmente alterado, o assaltante imobilizou a vítima e, em meio a socos e golpes com uma barra de ferro, exigia a entrega do aparelho celular. Com tamanha violência, Damião acabou com o polegar da mão esquerda quebrado.
Foi nesse momento que Thais chegou. De arma em punho e identificando-se como policial, ela impediu que as agressões continuassem e também a fuga do criminoso. Michael chegou a tentar dar partida no carro e, quando não conseguiu, correu a pé. No entanto, foi logo alcançado pela policial civil, que o perseguiu utilizando o veículo da mãe.
Prisão
O bandido foi capturado e algemado por Thaís e, em seguida, com o auxílio de policiais militares que atenderam à ocorrência, levado à 23ª Delegacia de Polícia (DP), no Setor P Sul, em Ceilândia. Antes disso, Michael chegou a oferecer R$ 2 mil à policial civil em troca da liberdade. Ela, entretanto, filmou a tentativa de suborno e apresentou como prova na DP. Confira abaixo.
Além da vítima e da papiloscopista responsável pela prisão, outras testemunhas foram ouvidas, inclusive o proprietário do veículo que o bandido utilizava na hora do crime – furtado horas antes. A ação rápida da policial civil, portanto, contribuiu para solução de mais crimes além dos que foram presenciados.
Segundo Thais, o fato de estar de folga não reduz o censo de responsabilidade na defesa da população e, por isso, entrou em ação de forma instintiva. “Tudo aconteceu muito rapidamente, mas enquanto policiais, nós temos que estar prontos para agir a qualquer momento, não apenas durante o nosso expediente”, ressalta a papiloscopista.
“Eu não enxerguei apenas o dever de não ser omissa frente ao conflito em andamento, mas me senti privilegiada pela oportunidade de contribuir para o restabelecimento da ordem e para a preservação da integridade e vida da vítima”, reconhece Thais. “Honrar o compromisso firmado quando me tornei policial e devolver segurança à sociedade por meio da ação diligenciada são as realizações que levo do ocorrido”, finaliza.
Antecedentes 
Em audiência de custódia realizada na última sexta, 20, a prisão em flagrante de Michael André foi convertida em prisão preventiva e ele deverá continuar encarcerado até o julgamento.
A decisão do juiz foi motivada pela periculosidade demonstrada pelo criminoso com a maneira violenta em que cometeu o delito. Além disso, entre roubo, furto, porte ilegal de arma e tentativa de homicídio, ele já tinha nove passagens pela Polícia – algumas de quando ainda era menor.
Da Comunicação Sinpol-DF
Powered by Rock Convert

Veja mais:

LEIA TAMBÉM -   Motorista bêbado bate em carro e mata mulher em Ceilândia

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: