Rede Pública de Educação abre 3,7 mil vagas em creches

Compartilhe essa matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram


Na próxima segunda-feira (11), o ano letivo começará com 3.780 vagas
ofertadas nas creches da rede pública de ensino do Distrito Federal. Elas
atenderão aos alunos prioritários da lista de inscritos da Secretaria de
Educação. As regionais de ensino já começaram, desde o início da semana, a
chamar os responsáveis melhor classificados na lista de inscrições.
As vagas foram abertas nas instituições a partir da movimentação natural
dos alunos, que completam três anos. Atualmente, a demanda de atendimento para
crianças de 0 a 3 anos na rede pública é de 23.640 vagas. Com as vagas
ofertadas esta semana, o déficit cai para 19.940.
Além dessas vagas, já existentes, 2.300 vagas novas vão ser abertas este
ano: 1,3 mil ainda neste semestre, por meio de ampliação dos convênios em
vigor, e outras 1 mil até o 2ºsemestre, em seis Centros de Educação da Primeira
Infância (Cepi) a serem inauguradas este ano. Pelo menos duas devem ser
inauguradas em breve, aguardam mobiliário.

AS
SEIS NOVAS CRECHES:

Em Construção:
CEPI Periquito – Samambaia
CEPI Bem-te-vi – Samambaia
CEPI Papagaio – Ceilândia
CEPI Cajuzinho – Lago Norte
Aguardando Mobiliário:
CEPI Bambu – Samambaia
CEPI Azulão – Samambaia
A meta do governo é criar 19 mil novas vagas (pouco menos do que o
déficit atual) nos próximos quatro anos. São quase 10 mil vagas a mais do que
as criadas nos últimos sete anos, desde que a Secretaria passou a ter a
responsabilidade de prestar este atendimento, em 2011. Em 2012, a Secretaria
ofereceu 4.758 vagas e em 2018, seis anos depois, 11.577.

Neste momento, as maiores carências dentro do déficit geral,
considerando ainda a demanda de 23.640 inscritos, estão no Plano Piloto, com
4.151 crianças inscritas e aguardando vagas; Ceilândia, com 3.768; e Samambaia,
com 3.058.

Todas as vagas são preenchidas conforme o Manual de Procedimentos para
Atendimento à Educação Infantil, disponível no site da SEEDF. Segundo informa o
documento, os inscritos para as creches são classificados de acordo com
critérios de prioridade, incluindo renda da família, situação de
vulnerabilidade social, risco nutricional, além do fato da mãe ser adolescente.
Os fatores devem ser comprovados por meio da documentação descrita na cartilha.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});


Com intuito de atender a demandas por creches, um dos caminhos
planejados é a parceria com entidades filantrópicas, confessionais e sem fins
lucrativos. No total, 112 instituições constituem a rede conveniada de ensino
infantil (etapa Creche) do DF, 60 delas com atendimento em prédio próprio e 52
Centros de Ensino de Primeira Infância, os CEPIs, parcerias público-privadas
com gestão terceirizada. Todas as instituições que celebram convênio com a
SEEDF passam por processo de chamada pública, atendendo às exigências legais
estabelecidas para esse tipo de atendimento. Essas entidades hoje são
responsáveis pelo atendimento de 15.025 crianças de idade entre 0 e 3 anos.

Agência Brasília

Deixe uma resposta

Veja Também:

Últimas Postagens

Siga-nos nos Facebook

%d blogueiros gostam disto: